Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
13 de março de 2020, 16h35

UNE e Frente Brasil Popular cancelam manifestações por conta do coronavírus

Atos dos estudantes, sindicatos e movimentos populares aconteceriam no dia 18, três dias após os atos de bolsonaristas que pedirão o fechamento do Congresso e STF

Manifestação em São Paulo (Foto: Patrícia Santos/UNE)

Seguindo a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde sobre evitar grandes aglomerações, a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Frente Brasil Popular decidiram cancelar as manifestações que estavam planejando para o próximo dia 18. A decisão se dá em meio ao aumento do número de casos confirmados do coronavírus no Brasil.

O “18M – em defesa da Educação, do Emprego, dos Direitos e da Democracia”, será um dia de mobilização que, além dos atos de rua, contará com paralisações e greves de servidores públicos. Somente os atos foram suspensos.

“Diante do avanço da contaminação do COVID-19 no Brasil, nós, da União Nacional dos Estudantes, acreditamos que esse é um momento de responsabilidade com a saúde do povo brasileiro e por isso em conjunto com outros movimentos, decidimos pelo adiamento dos atos de rua do dia 18, evitando o fomento de grandes aglomerações conforme orientações da OMS e Ministério da Saúde, mas mantendo as greves e paralisações”, anunciou a UNE.

“Neste momento delicado do País, entendemos que é necessário fazermos todos os esforços para evitar o agravamento da pandemia que está em curso. Isso exigirá um comportamento adequado de todos os atores políticos, principalmente do Judiciário, do Executivo e do Legislativo federal que deverão suspender a agenda de reformas neoliberais para concentrar todas as suas energias para encontrar meios que tenha a saúde do povo brasileiro como prioridade máxima”, escreveu a Frente Brasil Popular.

Centrais sindicais que estão na organização do dia de mobilização também avaliaram, segundo a Folha de S. Paulo, que seria melhor suspender os atos de rua. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) deve discutir até a próxima segunda-feira (16) se mantém seus atos de rua ou não.

As manifestações dos estudantes e trabalhadores aconteceria apenas três dias após os atos de bolsonaristas que acontecerão no dia 15. Incentivadas pelo próprio presidente Jair Bolsonaro, essas manifestações terão como principais pautas o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF). Alguns dos organizadores desses atos, no entanto, também já estão avaliando uma suspensão ou um adiamento por conta do coronavírus.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum