UNE fará escracho em loja acusada de lucrar com morte de Kathlen Romeu

"A desumanização que as empresas fazem com a vida das mulheres, em especial das mulheres pretas é revoltante", disse Regina Brunet, 1ª vice-presidente da UNE, sobre a Farm

O coletivo das mulheres da direção executiva da União Nacional dos Estudantes (UNE) realiza nesta sexta-feira (25), um ato de denúncia e escracho em frente a uma unidade da loja FARM, no Rio de Janeiro, em razão da campanha publicitária lançada pela marca após a morte de Kathlen Romeujovem grávida negra baleada em operação policial no Rio de Janeiro. A ação faz parte das atividades do 9º Encontro de Mulheres Estudantes (EME).

A UNE afirma que a rede de vestuário, 5ª maior do país no ramo, buscou capitalizar sobre o assassinato de Kathlen ao criar um código de desconto com o nome da ex-vendedora da loja, com a justificativa de que a comissão das vendas feitas com o código seria destinada a família da jovem.

A entidade destaca que o grupo SOMA (SOMA3), do qual a FARM faz parte, lucrou apenas no último trimestre de 2020, 39 milhões, captando no último ano 1.8 milhão na sua estreia na bolsa de valores brasileira. “O que torna a busca por capital usando a morte de uma vendedora que recebe, em média, 1500 reais por mês, ainda mais absurda e repugnante”, afirma a UNE.

“A desumanização que as empresas fazem com a vida das mulheres, em especial das mulheres pretas é revoltante. Não tem explicação para que, em menos de 24h depois da morte de Kathlen e seu bebê, a empresa já tenha se articulado para que pudesse lucrar em cima dessa morte. Não iremos tolerar isso”, disse Regina Brunet, 1ª vice-presidenta da UNE, à Fórum.

“É o mesmo capitalismo racista, só que com a estampa diferente”, agregou.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR