Imprensa livre e independente
29 de agosto de 2013, 14h13

MPL oficializa ação conjunta com entidades contra o governo paulista

Movimentos sociais acusam o poder público de São Paulo de abuso de poder e violação de direitos constitucionais durante ato do dia 13 de junho

Movimentos sociais acusam o poder público de São Paulo de abuso de poder e violação de direitos constitucionais durante ato do dia 13 de junho Da Redação Em entrevista concedida na manhã desta quinta-feira (29), o MPL (Movimento Passe Livre) anunciou que vai oficializar ainda hoje uma ação conjunta com entidades e movimentos sociais contra o governo estadual de São Paulo motivada pela atuação da PM paulista durante os protestos contra o reajuste das tarifas de transporte público, especialmente no ato ocorrido no dia 13 de junho. A organização reivindica a abertura de uma investigação contra Ben-Hur Junqueira, comandante da...

Movimentos sociais acusam o poder público de São Paulo de abuso de poder e violação de direitos constitucionais durante ato do dia 13 de junho

Da Redação

Em entrevista concedida na manhã desta quinta-feira (29), o MPL (Movimento Passe Livre) anunciou que vai oficializar ainda hoje uma ação conjunta com entidades e movimentos sociais contra o governo estadual de São Paulo motivada pela atuação da PM paulista durante os protestos contra o reajuste das tarifas de transporte público, especialmente no ato ocorrido no dia 13 de junho. A organização reivindica a abertura de uma investigação contra Ben-Hur Junqueira, comandante da Polícia Militar, a quem o MPL acusa de abuso de poder.

Policiais disparam contra manifestantes durante ato realizado no dia 13 de junho em São Paulo (Foto: Daniel Kfouri / APublica)

Paralelamente, também será apresentada uma representação à Procuradoria Federal de Direitos do Cidadão, uma vez que os movimentos alegam que existem muitos indícios de que as ações de repressão foram coordenadas por órgãos do governo paulista como a Secretaria de Segurança Pública e o Comando Geral da PM.

Veja também:  Estudantes fazem manifestação na Esplanada dos Ministérios em defesa da Educação

O MPL informou que a ação contra o comandante da PM está relacionada com as “detenções para averiguação” realizadas durante o ato. Segundo os movimentos que assinam a ação, foram realizadas mais de 100 prisões deste tipo que, segundo as organizações, é inconstitucional. “Ele mesmo [Ben-Hur Junqueira] admitiu ter feito isso e temos essas declarações gravadas”, afirmou Monique Félix, representante do MPL.

“Felizmente temos um processo de visibilidade a partir de junho. Fazemos agora, mas a repressão que estamos denunciando não é uma exceção, mas sim a lógica da PM. Nossos presos estão emanados com todas as vítimas e todos os presos pela PM. A população arrancou uma vitória em relação ao poder público sobre o aumento da tarifa. Essa é a lógica da polícia, da Justiça e temos que ver quem estão privilegiando e o que precisa ser mudado para ser extinta”, comentou Monique.

Além do MPL, assinam também a ação conjunta as seguintes organizações da sociedade civil: Mães de Maio, Coletivo Desentorpecendo A Razão (D.A.R.), Conectas, Comitê Contra o Genocídio do Povo Preto, Instituto Praxis, Associação Cristãos pela Abolição da Tortura, Marcha Mundial das Mulheres, Uneafro-Brasil, ITTC, Pastoral Carcerária – CNBB, Pastoral da Juventude, Instituto Luiz Gama, Rede 2 de Outubro, Rede Rua, Margens Clínicas e Frente de Esculacho Popular.

Veja também:  MEC deve anunciar plano de mensalidade para universidades federais

Com informações do Portal Terra.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum