Acusado de estupro e aliciamento, Saul Klein diz que pagou R$ 800 mil por silêncio de vítimas

Uma das garotas era menor de idade quando foi recrutada para ter relações sexuais com o empresário em festas na casa dele. Klein alega que ela era sua namorada

O filho do fundador das Casas Bahia, Saul Klein, denunciado por 32 mulheres ao Ministério Público por estupro e aliciamento, afirmou em depoimento à Justiça de São Paulo, em 2019, que firmou contratos de confidencialidade com pelo menos três garotas. Segundo reportagem de Pedro Lopes, no Universa, o empresário se comprometeu a pagar R$ 800 mil para cada em troca de silêncio.

Alguns pagamentos chegaram a ser feitos, em parcelas, por meio de depósitos em dinheiro sem identificação do autor. Depois de alguns meses, no entanto, foram interrompidos. Uma das garotas com as quais Klein assinou contrato era menor de idade quando teria sido recrutada.

Em seu depoimento, o empresário admitiu que manteve relações sexuais com a garota. Ele alega que ela se apresentou com um documento falso em sua casa, onde dizia ter mais de 18 anos. Segundo Klein, os dois tiveram um relacionamento sério.

“Ela foi minha namorada, uma pessoa muito digna. Só descobri na hora do processo que ela era menor de idade. Para mim, era maior de idade”, afirmou o empresário. Ela e sua família negam o relacionamento. De acordo com o Universa, a garota hoje passa por tratamento psiquiátrico e médico desde que deixou de frequentar as casas de Klein.

O empresário afirma que assinou os contratos com as jovens, por meio da dona da empresa de eventos que ele contratava para realizar suas festas, Marta Gomes da Silva, pois elas teriam ameaçado divulgar fotos íntimas suas e revelar que ele teria abusado de uma menor de idade.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.