Advogado bolsonarista punido por publicações homofóbicas ataca mulheres nas redes: ‘Vai lavar cueca’

Segundo relatos, Gustavo Cavalcante é conhecido no cenário gamer por humilhar mulheres, sexualizar seus corpos e oferecer dinheiro por fotos íntimas

O advogado bolsonarista Gustavo Cavalcante de Almeida Costa, de Pernambuco, proibido pela Justiça Federal de fazer publicações homofóbicas, tem atacado mulheres do cenário gamer com ofensas misóginas nas redes sociais. Em prints de comentários no Instagram e de conversas privadas obtidos pela Fórum, o advogado aparece humilhando jogadoras, sexualizando seus corpos e oferecendo dinheiro por fotos íntimas.

“Todo mundo quer ver mulher bonita. Se jogar bem melhor ainda. Se usar decote como Nyvi Stephan [apresentadora de eSports] melhor ainda”, escreve Gustavo na publicação de uma das vítimas, que diz ter bloqueado o advogado em mais de uma conta sua por conta dos ataques reincidentes.

Outra vítima, que não quis ser identificada, conta também que Gustavo é conhecido no cenário por objetificar mulheres e oferecer dinheiro por fotos. “Ninguém aguenta mais as nojeiras que ele fala às mulheres, sempre se gabando de seu dinheiro e sua profissão”, relata à Fórum.

Na semana passada, ela fez uma publicação em seu perfil no Instagram sobre emuladores, defendendo mais espaço no cenário para players dessa modalidade. O advogado então passou a atacá-la em mensagens privadas. “Não passa de uma gostosa fracassada como blogueira… Uma pena”, escreveu. “Se tu fizesse um only fans tava milionária”, completou, citando o site conhecido por permitir a venda de fotos e vídeos íntimos.

Em outro trecho dos ataques, o advogado diz que pagaria por fotos da gamer. “Quando fizer only fans me avisa que vou assinar e te mandar uns mimos caros”, afirma. Ele também recomenda que ela “arrume um macho para dar atenção” e “lavar umas cuecas”.

Reprodução/Instagram

Segundo relatos, o advogado faz ataques desse tipo há pelo menos um ano. Em mensagem enviada a um grupo no WhatsApp, uma das mulheres conta que Gustavo “tem dinheiro e compra muitas pessoas” para evitar possíveis punições. Segundo ela, há um medo de que o time apoiado pelo advogado, o Ghost Team, perca patrocínios e salários caso os ataques venham à tona.

Além dos ataques pessoais às mulheres gamers, Gustavo também coleciona publicações misóginas no Facebook, em especial contra mulheres de esquerda. “Como sempre a mulher esquerdista ao invés de lutar por uma posição, como elas pregam, preferem herdar tudo de um homem hétero, branco, rico e poderoso.Foi assim com a Hillary, com Dilma, e agora com Kamala Harris. Hipocrisia, se vê por aqui”, afirmou em uma de suas postagens.

Homofobia

Em novembro do ano passado, a Justiça Federal proibiu o advogado de fazer publicações homofóbicas nas redes sociais. O pedido partiu de Ação Civil Pública movida pela Ordem dos Advogados do Brasil no estado (OAB-PE). As publicações que chamaram atenção da OAB foram feitas em março. Em uma delas, Gustavo Cavalcante diz que pais de homossexuais prefeririam que o filho fosse hétero.

Na decisão, a juíza federal Marina Cofferri diz que os comentários do advogado são discriminatórias e estipulou uma multa diária de R$ 1 mil em caso de novos ataques.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.