Colégio de MG culpa roupa da mulher por ‘sedução’ do homem: “Pecado da sedutora é maior que o da pessoa seduzida”

Após críticas, Colégio Recanto do Espírito Santo apagou a postagem e pediu desculpas, mas insistiu na ideia de "modéstia no vestir"

Uma escola particular de Itaúna, cidade a cerca de 85 quilômetros de Belo Horizonte (MG), fez uma publicação machista nas redes sociais que gerou uma onda de críticas nesta terça-feira (1º). A postagem culpava a roupa da mulher por “seduzir” o homem, “pecado” considerado mais grave que o de “cair nas tentações da carne”.

“Quando a mulher decide expor partes do corpo que deveriam estar cobertas se torna uma sedutora, partilhando assim a culpa do homem. De fato, os Teólogos ensinam que o pecado da sedutora é muito maior que o da pessoa seduzida”, dizia a publicação do Colégio Recanto do Espírito Santo, @colegiores no Instagram.

Segundo reportagem do jornal O Globo, o trecho foi retirado do “Guia Mariano de Modéstia”. O livro introduz o texto com a seguinte pergunta: “A mulher é, então, considerada como algo mau e que deve ser evitado?”. A resposta que o guia apresenta é “não”, mas prossegue: “Esta questão está inteiramente relacionada com o assunto”.

O guia então culpa o homem apenas por “cair nas tentações da carne”, pecado considerado inferior ao da mulher que “seduz”.

A postagem gerou uma onda de críticas nas redes sociais, o que levou o colégio a apagar a publicação e pedir desculpas. Contudo, a instituição continuou a insistir na ideia de “modéstia no vestir”.

“Olá, paz e alegria! Foi feita uma postagem indevida por quem administra nossas redes sociais. Apesar de concordarmos com a modéstia no vestir, o texto em questão deixou margem para interpretações que não são as do colégio. Pedimos desculpa. O post foi excluído. #nãoaoestupro #aculpanuncaédavítima”, afirma o comunicado.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.