quarta-feira, 30 set 2020
Publicidade

“Melhor absolver cem culpados do que condenar um inocente”, diz juiz sobre acusado de estuprar Mariana Ferrer

Juiz alegou falta de provas e absolveu o empresário André de Camargo Aranha. Decisão gerou revolta nas redes sociais

O juiz Rudson Marcos, da 3ª Vara Criminal de Florianópolis, responsável pela absolvição do empresário André de Camargo Aranha por “falta de provas”, afirmou na sentença que é “melhor absolver cem culpados do que condenar um inocente”. O empresário foi acusado de estupro pela influenciadora digital Mariana Borges Ferreira.

A decisão do juiz gerou revolta nas redes sociais. Muitos internautas associaram o desfecho do caso com o fato de André Aranha ser rico e influente, pois alegam que a vítima tinha inúmeras provas contra ele. O acusado de estuprar a digital influencer já foi fotografado ao lado de Gabriel Jesus, Ronaldo Nazário e Roberto Marinho Neto – neto de Roberto Marinho, proprietário do Grupo Globo. Além disso, o acusado é filho do advogado que representou a emissora, Luiz de Camargo Aranha.

“Ao absolver o estuprador de Mariana Ferrer, o juiz escreveu ‘melhor absolver cem culpados do que condenar um inocente’. Principalmente quando o acusado é rico, não é, juiz?”, escreveu Lola Aronovich no Twitter.

De acordo com relatos de internautas nas redes, a defesa de Mariana Ferrer apresentou vídeos de câmera de segurança, prints de conversas e exames que constataram conjunção carnal, assim como presença de sêmen na calcinha da jovem e ruptura do hímen. O caso aconteceu em dezembro de 2018, no Café de La Musique, em Florianópolis (SC).

“O caso da Mari Ferrer é uma derrota pra todas as mulheres. Ela foi estuprada, tem vídeo, tem conversa, tem exame que comprovou que tinha sêmen do estuprador nela e que ela foi drogada pra ficar desacordada. Ser mulher no Brasil é ter um alvo nas costas”, afirmou a blogueira Débora Aladim.

Confira outras repercussões:

Luisa Fragão
Luisa Fragão
Jornalista.