Ministério Público denuncia homem suspeito de estuprar jovem em loja de Joinville

Polícia afirma que ele entrou no local dizendo que iria evangelizar a vítima. Homem já tem histórico de denúncias envolvendo estupros

O Ministério Público denunciou nesta semana um homem suspeito de ter estuprado uma jovem dentro de uma loja de roupas no Centro de Joinville, em Santa Catarina. De acordo com a polícia, ele entrou no local vestido com roupa social e mochila, dizendo que iria evangelizar a vítima.

Em depoimento à polícia, o homem alegou que a mulher teria relatado problemas no casamento e que ambos se sentiram atraídos durante a conversa. Imagens da câmera de segurança mostram que ele fez uma espécie de “ritual” com a vítima usando uma Bíblia antes de abusá-la sexualmente. As informações são do NSC.

“Ela escrevia três frases no papel, ele fazia algumas coisas, alguns movimentos. Em seguida, [ocorre] a entrega do valor em dinheiro e, posteriormente, ele pratica o ato sexual com ela”, explica Cláudia Lopes Gonzaga, responsável pela Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (Dpcami).

O caso ocorreu no dia 22 de outubro e está em segredo de justiça por se tratar de crime sexual. Além de abusar da vítima, o homem de 70 anos roubou R$ 220 do local. Segundo a Polícia Militar, as roupas da mulher continham provas genéticas do autor do estupro.

O acusado foi preso na noite do crime e está no Presídio Regional de Joinville, onde cumpre prisão preventiva. De acordo com a delegada responsável pelo caso, o homem já tem um histórico de condenações e acusações envolvendo estupros. Ele chegou a cumprir pena em Curitibanos, com prisão em 2012.

A Polícia Civil de Joinville também encontrou uma reportagem de 1976, publicada no jornal “Diário do Paraná”, na qual um homem com o mesmo nome teria se passado por ginecologista para abusar de mulheres.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.