Mulher denuncia violência doméstica em bilhete na matrícula do filho: “Ele não me deixa falar”

Direção do colégio acionou a Polícia Militar, que prendeu o homem em flagrante. Vítima diz que era agredida com facão

Uma mulher, de 28 anos, vítima de violência doméstica, utilizou um bilhete para pedir ajuda durante a matrícula do filho na escola estadual Laura Dantas, localizada no bairro do Farol, em Maceió. O pedido de socorro foi feito na tarde desta terça-feira (9).

A mulher entrou na escola junto com o filho, e o homem ficou esperando na porta. Ela entregou o bilhete junto com a documentação da criança a uma das funcionárias do colégio, que notificou a direção.

Segundo informações do Universa, o bilhete trazia a seguinte mensagem: “Por favor, me ajude. Estou sendo espancada. Não posso falar. Estou com hematomas na perna e meu filho foi seriamente sofrido (sic) por psicológico. Ele me bateu com o facão. Me ajude, ele não me deixa falar, me ameaça toda hora. Não consigo mais ficar calada, eu me cansei. Não me ignore”.

A direção do colégio acionou a Polícia Militar, que prendeu o homem ainda na calçada. Ele não reagiu à abordagem.

A mulher apresentava escoriações e hematomas pelo corpo. De acordo com ela, as agressões eram rotineiras, inclusive com facão e na frente do filho. Ela se submeteu a exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal Estácio de Lima, do bairro do Tabuleiro do Martins. O laudo será entregue à delegacia da mulher.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR