Mulher que acusa Robinho de estupro celebrava aniversário de 23 anos no dia do crime

Vítima tinha ido à boate em Milão com outras duas amigas celebrar a data

A mulher que acusa o jogador Robinho e outros cinco amigos dele de estupro comemorava o aniversário de 23 anos na noite do crime. A vítima tinha ido à boate Sio Café, em Milão, para celebrar a data com outras duas amigas e os conhecidos brasileiros. As informações constam na sentença de primeira instância que condenou Robinho a nove anos de prisão.

De acordo com o UOL, a vítima afirmou em depoimento que já conhecia pelo menos três dos estupradores. Em relação a Robinho, ela o conheceu dois anos antes do crime, em 2011, em uma boate de Milão chamada Onda Anomala. Na ocasião, os dois dançaram, Robinho pôs a mão dela em seu abdômen e tentou “lamber seu seio”, de acordo com trecho da sentença.

No dia 23 de janeiro de 2013, um dia depois de completar 23 anos, a vítima foi ao Sio Café com as amigas, onde reencontrou o jogador e seus amigos. “A garota junto com suas amigas […] foi a uma boate brasileira chamada Sio Café […] para comemorar seu aniversário. A garota tinha se juntado com um grupo de amigos brasileiros, conhecidos de uma de suas amigas”, diz trecho da sentença.

A mulher, no entanto, acabou ficando sozinha com seis brasileiros no camarim do músico Jairo Chagas, dentro da boate. Quatro meses depois, foi à polícia denunciar o estupro.

“Creio que tenha sido muito difícil para ela, psicologicamente, enfrentar toda a situação”, afirma o advogado da mulher, Jacopo Gnocchi, em entrevista ao UOL. “Enquanto o processo não terminar, essa questão não será resolvida. Se tivermos uma condenação definitiva, para ela será uma espécie de libertação psicológica”, completa.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.