Mulheres marcham por Mariana Ferrer em São Paulo

Milhares de manifestantes entoaram gritos exigindo uma Justiça menos machista e um novo julgamento para o caso da influencer, estuprada pelo empresário André de Camargo Aranha, que acabou sendo absolvido por um tribunal de Santa Catarina

Na tarde deste domingo (8), a Avenida Paulista foi palco de uma grande manifestação na qual milhares de mulheres protestaram contra a violência que elas sofrem cotidianamente no Brasil.

O protesto foi inspirado no caso da influencer Mariana Ferrer, que foi estuprada pelo empresário André de Camargo Aranha em dezembro de 2018. Em setembro de 2020, o réu foi absolvido pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina, que considerou que ele “não teve a intenção de estuprar a vítima”.

Nas ruas, cerca de 5 mil mulheres (segundo estimativa da organização do evento) levaram faixas e cartazes pedindo uma Justiça menos machista e um ovo julgamento para o caso de Marina Ferrer.

As faixas e cartazes traziam frases como “minha roupa não é um convite”, “o estupro existe desde antes da mini saia”, “a falta de justiça excita o homem e estupra a mulher”, entre outras.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) fechou um trecho da Avenida Paulista e da Rua da Consolação para a realização do protesto. A PM-SP (Polícia Militar de São Paulo) emitiu comunicado dizendo que a manifestação foi pacífica.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).