#Fórumcast, o podcast da Fórum
06 de novembro de 2019, 17h36

Neurocientista é alvo de mansplaining citando seu próprio artigo

"Acabaram de me dizer que eu deveria ler o que Stanton descobriu sobre a dor. Eu sou Stanton", escreveu.

Foto: Twitter/ @Tash_Stanton

A neurocientista Dra. Tasha Stanton vivenciou no último mês uma situação de mansplaining em uma conferência. Durante a sua palestra, um espectador sugeriu que ela conferisse um artigo para saber mais sobre o tema, que, na verdade, havia sido escrito por ela mesma.

Stanton depois contou a situação no Twitter e falou sobre esse tipo de acontecimento. “Acabaram de me dizer que eu deveria ler o que Stanton descobriu sobre a dor. Eu sou Stanton”, escreveu.

O termo mansplaining é utilizado para designar situações em que homens interrompem mulheres para “explicar” um assunto do qual julgam saber mais do que elas, mesmo que a pessoa falando seja uma especialista reconhecida sobre o assunto.

Sobre o acontecimento, Stanton ainda comentou que não espera que as pessoas a reconheçam fisicamente, mas pediu para que as pessoas tenham cuidado em conferências ao assumir que alguém não sabe do que está falando. “Eu literalmente respondi: eu sou Stanton”, escreveu. “Falei a ele que era um grande elogio ele me recomendar o meu artigo, que fico feliz que ele gostou e achou útil; mas que, no futuro, ele talvez quisesse ser cuidadoso para não assumir que as pessoas não sabem das coisas.”

Stanton é professora da Universidade do Sul da Austrália (UniSA) e já publicou mais de 60 artigos científicos em periódicos. Doutora pela Universidade de Sidney, ela pesquisa sobre os motivos da dor e os fatores que a fazem não desaparecer, às vezes. Também analisa o impacto da atividade física na recuperação de dores crônicas e atualmente é bolsista do Conselho Nacional de Pesquisa em Saúde e Medicina (NHMRC) da Austrália.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum