Entrevista exclusiva com Lula
20 de junho de 2018, 06h37

OAB abre investigação sobre conduta de Diego Jatobá em vídeo machista na Rússia

A investigação pode levar a uma advertência o ou até a cassação da carteira de advogado

Foto: Reprodução

A seccional de Pernambuco da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE) abriu investigação sobre a conduta do advogado Diego Valença Jatobá em vídeo machista na Rússia. Ele é um dos homens que assediam russas a repetir frases de teor sexual em português. O advogado é também ex-secretário de Cultura, Turismo e Esportes de Ipojuca, município do litoral do estado.

A denúncia contra Jatobá foi encaminhada pela Comissão da Mulher Advogada ao Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem. A investigação pode levar a uma advertência o ou até a cassação da carteira de advogado. Em nota, a OAB afirmou que “a preconceituosa atitude é causa de vergonha para todos nós, brasileiros, e vai na contramão do atual contexto de luta contra a desigualdade de gênero”.

“Está se verificando se a conduta do advogado viola nosso Código de Ética e Disciplina na parte em que proíbe que o advogado tenha uma conduta incompatível com a dignidade da advocacia. O Tribunal verá se essa conduta por ter sido praticada no exterior se é passível de ser punida em Pernambuco. O advogado está passível de uma punição que pode ir desde uma simples advertência até a exclusão dos quadros da OAB”, disse Ronnie Duarte, presidente da OAB de Pernambuco ao telejornal NE 2 .

Jatobá aparece no vídeo sempre entre risos ao praticar os ataques, sem as vítimas terem a noção do que diziam em português. Não é a primeira vez que uma imagem de Diego provoca polêmica nas redes sociais. Ele publicou no Facebook uma foto onde ostentava um maço de notas de 100 dólares. Com a repercussão negativa, ele alegou que o dinheiro não era dele e que tudo não passava de uma brincadeira com amigos em uma casa de câmbio.

Político tirou foto ostentando maço de cem dólares. Foto: Reprodução / Facebook

Nas redes sociais, o sentimento de revolta tomou conta de quem assistiu as gravações. “É isso que esses filhinhos mimados pelo papai e que nunca ouviram um não em casa vão fazer no exterior, fazer o Brasil se sentir envergonhado”, escreveu uma jovem. “Nada de novo, apenas a classe média alta brasileira mostrando mais e mais o seu fascismo”, escreveu um rapaz.

A cantora Zélia Duncan escreveu no Instagram. “Achar graça nisso é ser cúmplice de um mau gosto sem perdão e uma atitude criminosa inclusive”. Maria Gadu usou a mesma rede social para protestar. “Essa mulher simpaticíssima, desfrutava de amistosidade, doava generosidade anfitriã e foi açoitada pela podre misoginia brasileira. Machismo. Sexismo. Nojeira das mais pesadas”. Ivete Sangalo postou “Lamentável que muitos de um mesmo grupo participem deste papelão machista. Falta de lisura, de educação, de hombrifade. Sinto vergonha por vocês, garotos”.

Punido por dever pensão alimentícia

O ex-secretário de Turismo, Cultura e Esportes de Ipojuca foi condenado por mau uso do dinheiro público pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Pernambuco e teve o pedido de bloqueio da conta por dever R$ 37.561,83 de pensão alimentícia à ex-mulher. Ele é um dos homens que aparecem em um vídeo machista na Rússia em que torcedores assediam russas a repetir frases de teor sexual em português. A gravação provocou revolta desde que viralizou nas redes sociais, no último final de semana.

O processo da ex-mulher contra Jatobá data de 2014. A juíza Ana Emília de Oliveira Macedo, da 3ª Vara de Família e Registro Civil de Pernambuco chegou a pedir o bloqueio das contas de Jatobá pelo não pagamento da pensão alimentícia.

O ex-secretário foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Pernambuco por irregularidade em contratos da Secretaria de Turismo em 2012. Segundo o órgão, Jatobá descumpriu o artigo 89 da Lei de Licitações que trata das hipóteses onde a licitação é indispénsável. O TCE apontou irregularidade na contratação de artistas para shows em Porto de Galinhas, uma das praias mais visitadas do Nordeste, localizada em Ipojuca. Todo o processo do TCE contra a Prefeitura de Ipojuca é de R$ 2.212.866. A prefeitura recorreu da condenação e o processo está em andamento.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum