quarta-feira, 30 set 2020
Publicidade

ONU solicita ao Chile que desista de perseguir judicialmente coletivo feminista

As quatro integrantes do grupo LasTesis, autoras da performance “Um estuprador em seu caminho”, que virou sucesso mundial, são acusadas de “incitação à violência contra policiais”

Uma comissão de especialistas da área de Procedimentos Especiais da Organização da ONU (Organização das Nações Unidas) publicou comunicado nesta segunda-feira (24) recomendando ao Chile retirar as acusações criminais contra o coletivo feminista LasTesis.

O processo judicial contra as feministas foi iniciado em dezembro de 2019, semanas depois de elas lançarem a performance “Um estuprador em seu caminho”, que se tornou sucesso e foi reproduzida não só em todo o Chile como em centenas de cidades do mundo, em versões traduzidas.

O documento da ONU afirma que “a diversidade de opiniões e expressões em suas diferentes formas, incluindo a arte feminista, é necessária em uma sociedade democrática. O Chile deve proteger a liberdade de expressão e expressão cultural porque essas liberdades contribuem para uma sociedade democrático”.

O coletivo LasTesis é formado por quatro feministas chilenas, moradoras da cidade de Valparaíso: Dafne Valdés, Paula Cometa, Sibila Sotomayor e Lea Cáceres. Elas são autoras da performance denuncia os abusos sexuais cometidos pela polícia chilena. O próprio título ironiza o slogan oficial da polícia militar chilena (“um amigo em seu caminho”) e o refrão não deixa dúvidas do discurso: “o Estado opressor é um macho estuprador”.

“O grupo e a música se tornaram um símbolo das demandas universais das mulheres e de que elas possam viver uma vida livre de violência”, comentaram os especialistas da ONU.

No entanto, no caso do Chile, esse Estado considerou que o protesto das feministas configura crime de “incitação à violência contra policiais”, razão pela qual as quatro ativistas poderiam ser condenadas com pena multa e até prisão.

“O Chile deve retirar a investigação criminal contra o grupo de defensores dos direitos humanos, cujas artes cênicas inspiraram mulheres em todo o mundo. A acusação contra LasTesis possa ter um efeito desencorajador sobre as mulheres que lutam por seus direitos”, recomendou o órgão da ONU a respeito do processo que elas sofrem. anunciaram em sua conta no Twitter.

Victor Farinelli
Victor Farinelli
Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).