“Prioridade é vacina ou é absorvente?”, diz Damares sobre veto de Bolsonaro

“As mulheres pobres sempre menstruaram nesse Brasil e a gente não viu nenhum governo se preocupar com isso. E agora, o Bolsonaro é o carrasco porque não vai distribuir (absorventes) esse ano”, disse ela, justamente a ministra da Mulher

Quem mais deveria defender os direitos das mulheres, especialmente as pobres, vai na contramão de qualquer argumento razoável. Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, foi a público, nesta sexta (8), para defender nova medida de Jair Bosonaro.

O presidente vetou à distribuição gratuita de absorventes para estudantes de escolas públicas e mulheres em situação de vulnerabilidade extrema.

Damares declarou a repórteres no Paraná que é preciso escolher qual será a prioridade: a vacina contra Covid-19 ou os itens de higiene.

“O nosso governo já estava apresentando esse programa, não foi entregue por causa da pandemia. Hoje, a gente tem que decidir, a prioridade é vacina ou é absorvente?”, questionou, para espanto geral.

“As mulheres pobres sempre menstruaram nesse Brasil e a gente não viu nenhum governo se preocupar com isso. E agora, o Bolsonaro é o carrasco porque não vai distribuir esse ano. É uma questão de prioridade, não vamos tirar o arroz da cesta básica para colocar o absorvente”, acrescentou.

Aprovação na Câmara

Bolsonaro vetou, nesta quinta (7), o Projeto de Lei (PL) 4.968/19, que instituía o Programa de Promoção Menstrual, de autoria da deputada federal Marília Arraes (PT-PE). O PL havia sido aprovado pela Câmara em 15 de setembro.

“Esse veto é um verdadeiro absurdo para as mulheres do Brasil. Dizer que absorvente não é essencial, quem está dizendo [isso], é o presidente”, afirmou Marília em vídeo enviado à Revista Fórum

Publicidade

Com informações do UOL

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.