Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
18 de fevereiro de 2020, 08h43

Professora é denunciada por pai de aluna após abordar feminismo em sala de aula

Virginia Ferreira foi acusada de ensinar "ideologia de gênero" aos estudantes e, como consequência, quase perdeu o emprego na rede pública de Vinhedo (SP)

A professora de inglês Virginia Ferreira (Arquivo pessoal)

A professora de inglês Virginia Ferreira, que leciona há 20 anos na rede municipal pública de Vinhedo, cidade no interior de São Paulo conhecida por ser berço do Movimento Brasil Livre (MBL), foi filmada por uma aluna em sala de aula durante uma fala sobre feminismo e violência contra as mulheres no ano passado. Posteriormente, o vídeo foi utilizado pelo pai da estudante em uma denúncia que culminou em processo administrativo contra a professora, encerrado nesta segunda-feira (17).

O caso aconteceu na Escola Municipal Professor Ricardo Junco, poucas semanas antes da celebração do Dia Internacional da Mulher, no 8 de março. Ferreira conta que pediu em sua turma de 8º ano que os adolescentes respondessem um questionário e fizessem uma pesquisa em casa sobre alguns conceitos e correntes históricas do feminismo, relacionando a temática com o próprio conteúdo do livro didático.

“Já nesse processo a diretora me chamou para avisar que havia a queixa de mães de alunos. Pensei que se tratasse da abordagem, não do conteúdo, e me coloquei a disposição para explicar meu trabalho”, recorda Ferreira, em entrevista ao El País.

A reclamação, na verdade, era do pai de uma aluna, que acusava Ferreira de usar suas aulas para ensinar sobre feminismo e “ideologia de gênero”. “Minha aula não tem nenhuma estrutura de doutrinação, a gente faz um trabalho de diálogo, de conversa. Busco aproximar o conteúdo dos alunos e problematizar os temas trabalhados. É uma dinâmica já de anos em sala de aula”, disse a professora.

A gravação clandestina da estudante foi publicada na página oficial do MBL, no Facebook. Com a repercussão do caso, foi aberto um processo em agosto e, após seis meses, acabou arquivado nesta segunda-feira (17) por se considerar que não “houve configuração de irregularidade”. Neste período, a professora foi investigada por negligência e corria o risco de sofrer uma punição disciplinar, sendo a maior delas o afastamento de suas atividades. “Participei de todos os depoimentos. Quando depôs, o pai fez uma ameaça velada. Disse ‘eu tenho muita coisa contra essa professora, ela vai ver”, recorda Ferreira.

Confira:

Áudio flagra doutrinação de professora de Inglês da Rede Pública de Vinhedo

Áudio gravado flagra professora de Inglês da Rede Pública Municipal de Ensino de Vinhedo, filiada ao PSOL, dando aulas sobre feminismo e subvertendo valores para impor sua visão política ao invés de dar aulas de inglês. Inglês é uma matéria essencial para o mercado de trabalho atual e muitos pais não tem condições de pagar um curso para seus filhos. Porém a doutrinadora usa de seu poder em sala de aula para impor pautas que bem entende, jogando no lixo o conteúdo programático e a liberdade dos alunos e suas famílias. A professora foi DENUNCIADA pelos pais na ouvidoria. Esperamos que o Prefeito não se omita e tome medidas com relação a esse absurdo.

Posted by Movimento Brasil Livre – Vinhedo on Thursday, March 14, 2019

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum