Testemunha de agressões, assessor do DJ Ivis diz que não fez nada porque “travei”

Charles Barbosa, que aparece em vídeo em que o DJ agride a esposa, Pamella Holanda, diz que foi chamado para morar no apartamento justamente por causa das brigas do casal

Em depoimento à polícia do Ceará nesta quarta-feira (14), Charles Barbosa de Oliveira, funcionário de Iverson de Souza Araújo, o DJ Ivis, afirmou que presenciou agressão a Pamella Holanda mas não interferiu porque no momento “travou”.

Leia também: DJ Ivis é preso em Fortaleza por agressões à ex-esposa

“Eu fiquei simplesmente abismado com a situação que estava passando. Eu travei, eu fiquei parado sem acreditar no que estava vendo. Eu fiquei sem saber o que fazer”, disse Charles, que confirmou ser o “braço direito” do DJ.

Charles disse ainda que não sabe os motivos das brigas e que foi levado pelo DJ a morar com o casal justamente por causa dos desentendimentos.

“Eu não sei informar porque eu não estava […] Assim, o apartamento são três quartos. Eu estava dentro do estúdio, que eu sempre estava no estúdio. Inclusive eu estava dormindo quando começou aquela confusão. Eu simplesmente acordei e quando eu cheguei, não acreditei no que estava acontecendo”, disse ele, em relação a um dos vídeos divulgados.

“E eu sou o braço direito dele, sou o amigo que não deu as costas e tô aqui dando a cara a tapa, inclusive sendo chamado por muitos ‘disso e daquilo’. Eu tenho a minha vida particular. Quando o cara [DJ Ivis] veio me chamar pra trabalhar com ele, eu não fazia ideia do que tava se passando”, disse ainda.

Veja o víde (CENAS FORTES)

Notícias relacionadas

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR