Imprensa livre e independente
07 de maio de 2019, 07h28

Na lista de privatizações de Bolsonaro, BR Distribuidora tem lucro de R$ 447 milhões no trimestre

Em meio ao lucro, a empresa está na mira de Paulo Guedes, ministro da Economia de Bolsonaro. O objetivo é reduzir a participação estatal na BR Distribuidora para menos de 50% com a venda de ações.

Paulo Guedes e Bolsonaro. (Reprodução)
Na lista de empresas públicas a serem privatizadas pelo governo Jair Bolsonaro (PSL), a BR Distribuidora, controlada pelo Petrobras, teve lucro líquido de R$ 477 milhões no primeiro trimestre de 2019. Do ponto de vista operacional, a BR diz ter melhorado suas margens de venda – que subiram 12,5%, para R$ 86 por metro cúbico – e a despesa financeira, já que sua dívida líquida foi reduzida em 30% nos últimos 12 meses, para R$ 2,4 bilhões. Em meio ao lucro, a empresa está na mira de Paulo Guedes, ministro da Economia de Bolsonaro. O objetivo é reduzir a participação...

Na lista de empresas públicas a serem privatizadas pelo governo Jair Bolsonaro (PSL), a BR Distribuidora, controlada pelo Petrobras, teve lucro líquido de R$ 477 milhões no primeiro trimestre de 2019.

Do ponto de vista operacional, a BR diz ter melhorado suas margens de venda – que subiram 12,5%, para R$ 86 por metro cúbico – e a despesa financeira, já que sua dívida líquida foi reduzida em 30% nos últimos 12 meses, para R$ 2,4 bilhões.

Em meio ao lucro, a empresa está na mira de Paulo Guedes, ministro da Economia de Bolsonaro. O objetivo é reduzir a participação estatal na BR Distribuidora para menos de 50% com a venda de ações. Dessa forma, a Petrobras pode perder o controle administrativo.

Atualmente, a BR Distribuidora tem 18,75% de suas ações nas mãos de investidores privados

Veja também:  Com amigo de infância na Secretaria-Geral, Carlos e Eduardo Bolsonaro chegam à cúpula do governo

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum