Imprensa livre e independente
11 de julho de 2014, 11h58

Neonazistas atacam clube gay na Ucrânia; assista

Na última semana, a parada gay de Kiev teve que ser cancelada, pois o governo não deu garantias de segurança

Na última semana, a parada gay de Kiev teve que ser cancelada, pois o governo não deu garantias de segurança Por Redação Um grupo com cerca de 20 neonazistas tentaram invadir um clube gay em Kiev, na Ucrânia, no último final de semana. Um vídeo de segurança obtido pelo portal LGBT do Reino Unido Pink News mostra o momento exato do ataque. No vídeo é possível notar a chegada de algumas pessoas à discoteca Pomada Club, momentos depois um dos rapazes olha para trás e sai correndo, quando é perseguido por um dos integrantes do grupo. Logo em seguida cerca...

Na última semana, a parada gay de Kiev teve que ser cancelada, pois o governo não deu garantias de segurança

Por Redação

Um grupo com cerca de 20 neonazistas tentaram invadir um clube gay em Kiev, na Ucrânia, no último final de semana. Um vídeo de segurança obtido pelo portal LGBT do Reino Unido Pink News mostra o momento exato do ataque.

No vídeo é possível notar a chegada de algumas pessoas à discoteca Pomada Club, momentos depois um dos rapazes olha para trás e sai correndo, quando é perseguido por um dos integrantes do grupo. Logo em seguida cerca de 20 homens aparecem e tentam invadir o clube.

De acordo com o portal The Advocate, rojões foram disparados no interior da boate. Pouco depois da tentativa de invasão e ataque, o grupo sai correndo. Porém, não fica claro se fugiram ou simplesmente foram embora.

O Ministério de Assuntos Internos da Ucrânia declarou que o grupo atirou uma bomba de fumaça e fogos dentro do Pomada Club. O Ministério também afirmou que é possível identificar no vídeo adornos neonazistas como a cruz celta e tatuagens.

Veja também:  Em entrevista, Mourão afirma que "sempre houve homossexualidade no Exército" e defende ditadura militar

O ataque acontece logo depois que as atividades do orgulho gay de Kiev tiveram de ser canceladas, pois o governo declarou que não poderia garantir a segurança dos participantes e que temia por ataques.

 Foto: Reprodução/ YouTube

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum