Imprensa livre e independente
13 de março de 2019, 16h57

No mesmo dia do massacre de Suzano, Bolsonaro anuncia que vai flexibilizar porte de armas

O presidente declarou, ainda, que dorme com uma arma ao lado da cama, no Palácio da Alvorada

Foto: Reprodução/YouTube
Jair Bolsonaro anunciou, nesta quarta-feira (13), que está preparando um projeto de lei para ser encaminhado ao Congresso com o objetivo de flexibilizar o porte de armas. A informação foi prestada pouco antes do massacre de Suzano, no qual dois jovens invadiram uma escola e abriram fogo contra estudantes e funcionários, deixando um total de dez mortos e 17 feridos, incluindo os assassinos. Na avaliação de Bolsonaro, a regulamentação que rege o porte de armas não pode ser tão “rígida” conforme os dias atuais. No entanto, o presidente não forneceu detalhes a respeito do texto. Arma ao lado da cama...

Jair Bolsonaro anunciou, nesta quarta-feira (13), que está preparando um projeto de lei para ser encaminhado ao Congresso com o objetivo de flexibilizar o porte de armas. A informação foi prestada pouco antes do massacre de Suzano, no qual dois jovens invadiram uma escola e abriram fogo contra estudantes e funcionários, deixando um total de dez mortos e 17 feridos, incluindo os assassinos.

Na avaliação de Bolsonaro, a regulamentação que rege o porte de armas não pode ser tão “rígida” conforme os dias atuais. No entanto, o presidente não forneceu detalhes a respeito do texto.

Arma ao lado da cama

No encontro que manteve com alguns jornalistas, Bolsonaro declarou, ainda, que dorme com uma arma ao lado da cama, no Palácio da Alvorada.

De acordo om ele, existem riscos, apesar do esquema forte de segurança. Disse que só consegue dormir sabendo que tem uma arma ao seu lado.

Um dos primeiros atos de Bolsonaro, logo que assumiu em janeiro, foi editar um decreto flexibilizando a posse de armas pela população. A alegação usada foi que a iniciativa ajudaria a combater a violência.

Veja também:  Algo está acontecendo na juventude

 

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum