Fórumcast #19
20 de março de 2014, 16h26

5 famílias mais ricas do Reino Unido têm mais dinheiro que os 20% mais pobres

Autora do estudo, ONG Oxfam classificou a crescente desigualdade como "profundamente preocupante"

Autora do estudo, ONG Oxfam classificou a crescente desigualdade como “profundamente preocupante”

Do Opera Mundi

Um estudo divulgado nesta segunda-feira (17) pela ONG Oxfam escancara a crescente desigualdade social no Reino Unido. A fortuna das cinco famílias mais ricas do país é maior do que o patrimônio dos 20% mais pobres da população britânica.

A riqueza dos cinco sobrenomes bilionários acumula um total de 28,2 bilhões de libras — quantia superior ao patrimônio de 12,6 milhões de pessoas no Reino Unido. A entidade classificou de “profundamente preocupante” o resultado da pesquisa, acrescentando que tamanha desigualdade é “sinal de falência econômica”.

A Oxfam baseou-se na tradicional lista dos bilionários produzida pela revista Forbes. O estudo também conclui que a fortuna dos 0,1% mais ricos cresceu quase quatro vezes mais rapidamente do que a renda de 90% da população.

O topo da lista é ocupado por Gerald Cavendish Grosvenor, o 6º Duque de Westminster. Ele é dono de mais de 100 acres no bairro nobre de Mayfair, no centro de Londres. Sua fortuna é estimada em US$ 13 bilhões.

Veja também:  "Passaralho": ESPN demite 8 jornalistas; entre eles, Juca Kfouri

Em seguida, aparecem os irmãos David e Simon Reuben (US$ 11,5 bilhões), dos ramos de metal e propriedade. O terceiro lugar é de Srichand e Gopichand Hinduja (US$ 10 bilhões), do setor bancário.

Para completar a lista, aparecem Charles Cadogan (US$ 6,9 bilhões), proprietário de terrenos em bairros nobres de Londres, e Michael Ashley (US$ 5,5 bilhões), dono de uma rede de produtos esportivos e do clube de futebol Newcastle United.

*Foto: Flickr/JD Mack


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum