Agatha presente: Moradores do Alemão fazem novo protesto contra assassinato da menina de 8 anos

Agatha Félix, de 8 anos, morreu no sábado em decorrência de um tiro de fuzil disparado pela Polícia Militar do governador Wilson Witzel

Depois de manifestação realizada no sábado, os moradores do Complexo do Alemão voltaram a protestar contra o assassinato de Agatha Félix, de 8 anos, neste domingo (22). A menina morreu após ser atingida por tiro de fuzil da Polícia Militar enquanto voltava para casa com sua família.

A jornalista Cecília Olliveira, do The Intercept Brasil, acompanhou a manifestação, que partiu em direção ao Cemitério de Inhaúma, onde foi realizado o velório de Agatha. Pelo Twitter, reportou a emoção dos presentes, a presença da comunidade e de mototaxistas, além da revolta de moradores com a presença de policiais no meio da caminhada.

Renê Silva, do Voz das Comunidades, também usou as redes para contar sobre o protesto. “Moradores do Complexo do Alemão estão nas ruas pedindo #JusticaParaAgatha!!!! Isso não vai ficar impune!!! #ACulpaEDoWitzel”, publicou.

Repercussão do caso

O assassinato de Agatha ganhou grande repercussão. No sábado, diversas foram as manifestações contrárias ao episódio. Além dos atos realizados no Complexo do Alemão, a hashtag #ACulpaEDoWitzel ganhou destaque nas redes sociais e uma manifestação em frente à ALERJ foi convocada para a próxima segunda-feira. Além disso, o candidato à presidência pelo PT em 2018, Fernando Haddad, chegou a pedir o impeachment do governador, que ele chamou de assassino.

O governo do Rio de Janeiro se limitou a soltar uma nota protocolar lamentando o caso, mas dizendo que os policiais revidaram em confronto. A família da vítima rebate a informação, dizendo que não havia qualquer troca de tiros antes do disparo fatal.

Confira alguns tuítes sobre o protesto:

https://twitter.com/Cecillia/status/1175821880630095872

https://twitter.com/Cecillia/status/1175843215146147849

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR