Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
31 de janeiro de 2020, 14h59

Alberto Fernández e Papa Francisco falam sobre parceria com católicos para combater a pobreza na Argentina

Segundo Fernández, o papa concordou que “a Argentina precisa acabar com o tempo das divisões sociais” e também que “a prioridade para o país hoje é a luta contra a pobreza e a inflação”

O Papa Francisco e Alberto Fernández, em encontro no Vaticano (Foto: Agência Télam)

A manhã desta sexta-feira (31) marcou o encontro de dois chefes de Estado argentinos. O presidente da Argentina, Alberto Fernández, que assumiu o cargo em dezembro passado, e o Papa Francisco, também argentino, que é a máxima autoridade da Igreja Católica e chefe de Estado do Vaticano.

Após o encontro, onde falaram sobre várias questões, mas sobretudo sobre a realidade argentina, Fernández disse que ambos tiveram uma conversa “muito agradável”, na qual concordaram, entre outras coisas, que “a Argentina precisa acabar com o tempo das divisões sociais”, em referência à polarização política entre kirchneristas e macristas, que marcou o país na última década – semelhante ao que acontece no Brasil, com setores similares da direita e da esquerda.

Além disso, também houve um diagnóstico econômico em comum entre ambos os líderes políticos. Segundo Fernández, “a prioridade para o país hoje é a luta contra a pobreza e a inflação, o Papa está de acordo com essa leitura, e nós também, e estaremos trabalhando por esse objetivo, pelo qual contamos com o apoio de vários grupos da Igreja Católica argentina que já trabalham por causas sociais desde a época que ele (Francisco) cardeal em Buenos Aires, e liderava pessoalmente esses esforços”.

Na reunião, eles também discutiram a recente nomeação de María Fernanda Silva, a primeira embaixadora negra da história da Argentina, que foi credenciada nesta quinta-feira (30) como representante do país no Vaticano. “Ele se alegrou que fosse ela, e já a conhecia, porque era subsecretária desta embaixada na década passada, e portanto não é difícil imaginar que terão uma boa relação”, comentou Fernández.

Ao terminar a coletiva posterior ao encontro, o presidente argentino enfatizou que Francisco foi “muito generoso em seu tratamento e em suas palavras”, e o definiu como “uma figura transcendental da humanidade”. Sobre a possibilidade da tão esperada visita do Papa à Argentina – Francisco não visitou a terra natal desde que assumiu o pontificado, em 2013. Fernández confirmou que fez o convite: “disse a ele que basta ele me ligar, e nos colocaremos à disposição imediatamente”.

Notícias relacionadas


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum