terça-feira, 20 out 2020
Publicidade

Além de peça no CCBB, censura atinge mais dois projetos culturais só nesta semana

Só nesta semana, três eventos que já haviam sido programados pela Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil foram suspensos por censura. Além das peças que seriam apresentadas no CCBB, a Caixa Cultural do Rio de Janeiro também cancelou o patrocínio a dois projetos que já tinham sido aprovados em edital. Em comum, esses eventos abordariam assuntos que desagradam bolsonaristas, incluindo temáticas LGBT e críticas à ditadura.

Um dos projetos censurados na Caixa Cultural foi a mostra da cineasta Dorothy Arzner, que discutiria temas feministas e homossexualidade. Ainda, às vésperas da abertura, no último sábado (28), um ciclo de palestras sobre democracia, história, ciência e ambiente também foi cancelado.

Produtores do evento Aventuras do Pensamento, responsáveis pelas palestras, receberam na quinta (26) um email comunicando o cancelamento. A justificativa foi a de que os organizadores mudaram títulos de palestras sem aviso prévio antes de assinarem o contrato. A assessoria da Caixa disse que as razões para a decisão foram unicamente técnicas.

Em nota, a Caixa ainda informou que o projeto original “foi alterado pelo proponente, demandando nova etapa de análise pela patrocinadora”. “Nos termos da sistemática de seleção de projetos vigentes, aplicável a todos os concorrentes, não havia tempo hábil para nova avaliação prévia para subsidiar a contratação.”

CCBB

No Rio de Janeiro, nesta semana, também houve o cancelamento de sessões de “Caranguejo Overdrive”, peça já programada pelo Centro Cultural Banco do Brasil, segundo os produtores.

O caso se junto a uma série de outros episódios de censura nas artes promovidos este ano. Segundo o Observatório da Censura à Arte, já foram mais de 15 casos apenas no segundo semestre de 2019.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.