Anvisa autoriza teste clínico de nova vacina contra a Covid-19

Produzida pelas farmacêuticas Medicago R&D (Canadá) e GlaxoSmithKline (Reino Unido), o teste clínico deve ser realizado no Brasil com até 3.500 voluntários

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária *Anvisa) autorizou o ensaio clínico de uma nova candidata a vacina contra a Covid-19, que é desenvolvida pelas farmacêuticas Medicago R&D Inc (Canadá) e GlaxoSmithKline (Reino Unido).

De acordo com a Anvisa, o potencial imunizante “usa tecnologia de partícula ao coronavírus (CoVLP), é composta de proteína S expressa em forma de partículas parecida com o Vírus (VLP’s), coadministradas com um adjuvante, em duas doses com intervalo de 21 dias entre as doses”.

Dessa maneira, “o ensaio aprovado é de fase 2/3, randomizado, cego para observador, controlado por placebo, para avaliar a segurança, eficácia e imunogenicidade da vacina em adultos com 18 anos de idade ou mais”.

Segundo o comunicado o “ensaio clínico é composto por três estágios e o Brasil participará do estágio 3, que corresponde à fase 2/3 do estudo. Na fase 3 do estudo planeja-se incluir até 30 mil voluntários distribuídos entre o Canadá, Estados Unidos, além da América Latina, Reino Unido e Europa”.

Por fim, no Brasil a previsão é de que o teste seja feito com 3.500 voluntários na porção do 3 do estudo de Fase 2/3. A fase 1 e 2 está em andamento no Canadá e nos Estados Unidos.

Com informações d’O Antagonista.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).