Anvisa suspende estudo clínico da CoronaVac no Brasil

Medida foi tomada após “evento adverso grave” em voluntário; Butantan disse que foi “surpreendido” com decisão

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, nesta segunda-feira (9), a interrupção do estudo clínico da vacina CoronaVac.

A medida foi tomada após o registro de “evento adverso grave” em um voluntário. “O evento ocorrido no dia 29/10 foi comunicado à Anvisa, que decidiu interromper o estudo para avaliar os dados observados até o momento e julgar sobre o risco/benefício da continuidade do estudo”, informou a agência, em nota.  

Não houve detalhamento do efeito constatado nem de onde é o voluntário. De acordo com a Anvisa, “os dados sobre voluntários de pesquisas clínicas devem ser mantidos em sigilo”.

Com a interrupção do estudo, nenhum novo voluntário poderá ser vacinado.

Desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, a vacina vem sendo testada no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, que deve fabricar o produto no país.

Em nota na noite desta segunda-feira, o instituto disse que foi “surpreendido” com a decisão da Anvisa “e que está apurando em detalhes o que houve com o andamento dos estudos clínicos da Coronavac”.

O Butantan informou ainda que está “à disposição da agência reguladora brasileira para prestar todos os esclarecimentos necessários referentes a qualquer evento adverso que os estudos clínicos podem ter apresentado até momento”.

O imunizante é defendido pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Nesta segunda, inclusive, o tucano esteve na fábrica que deve ser usada para produzir as vacinas e prometeu 120 mil doses dela para 20 de novembro.

Publicidade

Segundo a Anvisa, esse tipo de interrupção é prevista pelas normativas da agência e faz parte dos procedimentos de Boas Práticas Clínicas esperadas para estudos clínicos conduzidos no Brasil.  

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR