Após denunciar manifestação nazista, vereador petista Leonel Radde vira alvo de processo de cassação de mandato

Vereadores da extrema direita de Porto Alegre, que entraram com o pedido de cassação, fazem parte de um grupo liderado por Doris Neumann, que é investigada por usar frase nazista contra o governador do Rio Grande do Sul

O vereador Leonel Radde (PT-RS) é alvo de um processo de cassação de mandato representado pelos colegas de casa Fernanda Barth (PRTB-RS) e Pablo Melo (MDB-RS), que é filho do prefeito da capital gaúcha, Sebastião Melo (MDB).

Em uma série de tuítes, Radde explica que o processo é movido após ele ter denunciado a participação dos parlamentares em ato organizado por uma militante neonazista.

Radde atenta para o fato de que sim, o seu mandato está em risco, pois, na Câmara a oposição é “infinita maioria”. “Ao invés dos parlamentares se pronunciarem contrários a fala nazista dessa liderança do grupo do qual eles fazem parte, eles optaram por fazer essa representação contra o nosso mandato”, disse Radde.

A advogada Doris Neumann, que lidera o grupo denunciado por Radde, utilizou uma frase nazista para atacar o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB). Em vídeo, ela usou a expressão em alemão “Arbeit macht frei”, que significa “o trabalho liberta”. Essa frase foi fixada nos campos de concentração durante o período nazista.

A manifestação nazista de Neumann se deu no começo de março durante uma manifestação contrária ao fechamento do comércio por conta da pandemia. À época, Radde fez um boletim de ocorrência contra a advogada por apologia ao nazismo e xenofobia.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).