quinta-feira, 1 out 2020
Publicidade

Após negligência de Bolsonaro, Sergipe declara situação de emergência por óleo nas praias

O governo de Sergipe decretou situação de emergência neste domingo (6) devido ao aumento de danos ambientais causado pelo óleo que vem tomando as praias do Nordeste do País desde setembro. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) se pronunciou sobre a tragédia apenas na noite deste sábado (5), pedindo a investigação da origem das manchas.

No entanto, as primeiras manchas de petróleo começaram a aparecer no dia 24 de setembro, segundo o governo de Sergipe. “A preocupação é que a situação vem se agravando com o aumento da quantidade de manchas, o que faz com que o governo tenha que definir novas ações”, explicou, em nota, o governo do Estado. O governo também informou que está realizando a limpeza através da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) vem atuando com outros órgãos na limpeza da areia e na coleta de amostras de água para serem analisadas e enviadas também para a Marinha do Brasil, que ajuda no caso.

Por conta da dimensão do caso, um gabinete de crise foi criado no Estado para acompanhar a situação e, na segunda-feira (7), o ministro do meio-ambiente, Ricardo Salles, é esperado para um voo sobre os locais atingidos.

Praias de nove estados da região Nordeste já foram atingidas pelo petróleo que começou a aparecer na costa no início de setembro. De acordo com o Ibama, já são quase 130 praias atingidas em todo o Nordeste. Até agora, a Marinha não soube informar ainda o tamanho da área atingida e de onde veio o material, mas informou que está coletando amostras do óleo para análise no Instituto do Meio Ambiente Paulo Moreira.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.