Atiradores de Suzano treinaram clandestinamente em estande. Com decreto de Bolsonaro fica liberado

O conselheiro do Condepe, Ariel de Castro Alves, afirma que, com a chancela do Governo, novos massacres virão sob o lema ‘Deus acima de todos!’”

De acordo com Ariel de Castro Alves, advogado, especialista em direitos da infância e juventude e conselheiro do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe), os dois adolescentes suspeitos do massacre de Suzano, Guilherme Taucci e  Luiz Henrique de Castro, “ingressaram clandestinamente, sem autorização judicial, por falha do estande de tiro do Shopping Tatuapé, e treinaram para o Massacre de Suzano”.

O conselheiro alerta que, a partir de “agora o governo está liberando, por decreto, crianças e adolescentes (0 a 18 anos) para utilizarem armas de fogo nos clubes e estandes de tiro, bastando uma autorização do pai, mãe ou responsável, que pode ser facilmente falsificada a assinatura”.

“E com a chancela do Governo novos massacres virão sob o lema ‘Deus acima de todos!’”, lamenta Ariel.

Relembre

A Folha de S.Paulo informou, em março, que cinco dias antes do massacre na escola estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, o atirador Guilherme Taucci, 17, e o jovem de 17 anos apreendido como terceiro suspeito de planejar o crime foram até um estande de tiros e treinaram disparos com armas airsoft e arco e flechas.

Um vídeo mostra os dois recebendo instruções de um funcionário na loja Clube da Mira, no Shopping Tatuapé, na zona leste da capital paulista. O jovem suspeito segura o casaco de Guilherme Taucci, enquanto ele examina um arco e flecha.

O massacre de Suzano resultou na morte de dez pessoas, entre alunos, funcionários da escola, um parente de aluno e os dois suspeitos. Segundo a polícia, Guilherme Taucci, o atirador mais jovem, matou o comparsa Luiz Henrique de Castro e logo em seguida cometeu suicídio. Ambos eram ex-alunos da escola.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR