Augusto Aras persegue Conrado Hübner Mendes, da USP, por chamá-lo de “poste” e “servo do presidente”

Alçado ao comando da PGR, Augusto Aras entrou com queixa-crime em que acusa o professor dos crimes de calúnia, injúria e difamação

Alçado ao comando da Procuradoria-Geral da República, Augusto Aras realiza uma perseguição contra o professor Conrado Hübner Mendes, da Faculdade de Direito da USP, por artigos publicados na Folha de S.Paulo que classificam o PGR como “servo do presidente” e Poste Geral da República”.

Após entrar com representação no Conselho de Ética da USP contra Mendes, Aras apresentou queixa-crime na 12ª Vara Federal Criminal da Justiça Federal de Brasília contra o professor por supostos crimes de calúnia, injúria e difamação.

Na ação, o PGR cita o artigo intitulado “Aras é a antessala de Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional“, em que o professor diz que o procurador “integra o bando servil” de Jair Bolsonaro.

“Enquanto colegas de governo abrem inquéritos sigilosos e interpelam quem machuca imagem do chefe, Aras fica na retaguarda: omite-se no que importa; exibe-se nas causas minúsculas; autoriza o chefe a falar boçalidades mesmo que alimente espiral da morte sob o signo da liberdade”, diz o texto.

Em publicações nas redes, Mendes se refere ao PGR como “Poste Geral da República” e “servo do presidente”.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR