Ativistas denunciam a presença de centenas de balsas de garimpo ilegal no rio Madeira; veja vídeo

A comunidade local acionou o Ibama, mas até agora não obteve retorno

Centenas de balsas de garimpo ilegal invadiram o rio Madeira, nas proximidades de Manaus, em busca de ouro.

De acordo com o portal A Crítica, as embarcações estão descendo o rio atrás de ouro há pelo menos duas semanas e nesta terça-feira (23) chegaram a Autazes, penúltima cidade antes da foz do rio, que deságua no Amazonas.

Segundo denúncias de ativistas, são 600 balsas que, neste momento estão destruindo o Rio Madeira.

As dragas, que sugam o leito do rio em busca do minério, estão próximas da comunidade Rosarinho, próximo do limite com o município de Nova Olinda e a apenas 120 quilômetros em linha reta da capital Manaus.

A prefeitura de Autazes notificou o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e acionou a Marinha, a Polícia Federal e o Ministério do Meio Ambiente.

“Não podemos permitir que essa atividade que é ilegal coloque em risco a vida dos moradores do Rosarinho e, consequentemente, de toda a região. Os ribeirinhos e comunitários solicitaram que a prefeitura os ajudasse a preservar o rio, os peixes e o seu trabalho”, declarou, por meio de uma nota, o prefeito de Autazes Anderson Cavalcante (PSC).

O Ipaam confirmou que tomou conhecimento das denúncias sobre a movimentação de balsas de garimpo na região e afirmou “que será feito um diagnóstico apurando a real situação no local.

Além disso, o Ipaam também atentou para o fato de que em situações como essa, pode haver outras possíveis ilegalidades: mão de obra escrava, tráfico e contrabando.

Publicidade

O Ibama também foi acionado, mas até agora, segundo denúncias, não se manifestou sobre a presença das balsas.

Publicidade

Com informações do portal A Crítica

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR