Bolsonaro tem chilique com Ômicron: “Fechar o espaço aéreo. De novo, por*a?!”; veja vídeo

"Vai ter um montão de vírus pela frente, de variantes talvez", minimizou o presidente em evento com empresários

Visivelmente irritado, o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a dar chilique por causa do pedido da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que os viajantes façam quarentena quando chegarem ao Brasil devido à nova variante da Covid-19, a Ômicron.

“Estamos trabalhando agora com a Anvisa, que quer fechar o espaço aéreo. De novo, porra? De novo vai começar esse negócio? Ah, a Ômicron. Vai ter um montão de vírus pela frente, de variantes talvez. Peço a deus que esteja errado. Temos que enfrentar”, disse o presidente.

Evocando o nome do ministro da Defesa, Walter Braga Netto, ele fez uma metáfora entre o combate à Covid-19 e uma guerra. “Temos aqui o Braga Netto. Ninguém vai ganhar guerra dentro da trincheira, ninguém vai superar os problemas do Brasil dentro de casa, chega do ‘fique em casa e a economia a gente vê depois’. Temos que enfrentar esse problema”, afirmou Bolsonaro.

A declaração foi feita durante evento organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) para apresentar propostas para a retomada da indústria e geração de emprego.

O presidente também voltou a defender remédios ineficazes contra a doença e proferir fake news, como insinuar que pessoas que contraíram o vírus estão tão protegidas quanto aquelas que tomaram a vacina.

“Ouso dizer, falam para não tocar no assunto de vacina. Nós disponibilizamos para quem quisesse, mas hoje em dia, já sabemos, quem toma vacina pode contrair o vírus e pode transmitir o vírus e pode morrer também, infelizmente”, afirmou. “Falei de um possível medicamento, né? Eu tomei e deu certo. E logo em seguida destruíram o que é mais importante para o médico: a sua autonomia”, defendeu.

STF pede que governo se manifeste sobre quarentena

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Barroso concedeu nesta segunda-feira (6) prazo de 48 horas para que o governo federal se manifeste sobre uma ação judicial que pede a obrigatoriedade de quarentena e comprovação de vacinação contra a Covid-19 para quem entra no país.

A ação, protocolada pela Rede Sustentabilidade, chegou ao Supremo no dia 26 de novembro e foi distribuída para o ministro, que é o relator do caso.

Publicidade

De acordo com a Anvisa, a política brasileira para fronteiras deveria ser revista, com o estabelecimento da cobrança de prova de vacinação para turistas e outros viajantes que desejam entrar no país de avião ou por via terrestre, em combinação com protocolos de testagem.

Notícias relacionadas

Avatar de Carolina Fortes

Carolina Fortes

Repórter colaborativa no site Emerge Mag e antiga editora-assistente no site da Jovem Pan. Ex-repórter no site Elástica. Formada em jornalismo e faz a segunda graduação em Letras na Universidade de São Paulo (USP). Acredita no jornalismo como forma de impacto social e defende maior inclusão e representatividade.