Bolsonaro dá ‘tiro de bazuca’ na Zona Franca de Manaus

Redução no imposto para importação de bicicletas põe indústria brasileira do setor nas cordas

Por Mário Adolfo Filho

O governo Bolsonaro deu mais um golpe que atinge diretamente a Zona Franca de Manaus. Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (18) a redução do imposto de importação para bicicletas. Atualmente, o setor é responsável por empregar de forma direta e indireta mais de cinco mil trabalhadores, além de produzir 57% de todas as bicicletas vendidas no Brasil.

Segundo a publicação, a Câmara de Comércio Exterior (Camex), do Ministério da Economia, deliberou para diminuir o imposto de importação das bicicletas, que hoje é de 35%. O tributo vai sofrer redução já no mês de março, quando a porcentagem passa a ser de 30%. Em julho cai para 25% e em dezembro de 2021 para 20%.

Em resumo, o governo está baixando os impostos para importação de bicicletas, mesmo com o polo industrial de Manaus produzindo 57% de tudo que é vendido atualmente no país. Ou seja, agora será mais barato comprar da China, o que deve quebrar as fábricas no Amazonas.

Reações – A decisão foi publicada nas redes sociais na noite de ontem (17) pelo presidente Jair Bolsonaro. Imediatamente, os políticos amazonenses reagiram classificando o ato como prejudicial ao modelo Zona Franca e à população do Estado.

“Nós vamos deixar de gerar emprego para os brasileiros e essas empresas que estão aqui hoje vão passar a exportar para o Brasil produzindo na China, produzindo no México. O segmento de duas rodas foi o primeiro, nós tivemos lá atrás a questão dos concentrados que afugentou a Pepsi, então nós temos sim que nos movimentar e cuidar para que o brasileiro seja favorecido”, opinou Wilson Périco, presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam).

O líder da bancada amazonense, senador Omar Aziz (PSD), se posicionou: “A Camex, com a redução da alíquota de impostos para o setor de bicicletas, sufoca ainda mais o Amazonas, extinguindo cinco mil empregos diretos e indiretos. A Camex está tirando renda de famílias amazonenses para beneficiar a China, local de origem do vírus letal que está tirando a vida de brasileiros amazonenses”, destacou Omar Aziz.

Já o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) lembrou que não é a primeira vez que o governo Bolsonaro toma decisões que atacam o polo industrial de Manaus. O parlamentar se manifestou contrário à redução de alíquotas que favorece a China.

Desta vez o alvo é o polo de bicicletas. Em plena quarta-feira de cinzas, o presidente Jair Bolsonaro anunciou em suas redes sociais a diminuição do Imposto de Importação de bicicletas de 35% para 20%. Isto praticamente expulsa os fabricantes de bicicletas da Zona Franca de Manaus”, criticou Serafim.

O deputado federal Zé Ricardo (PT) criticou a decisão do governo federal e disse que vai intervir na Câmara dos Deputados, em Brasília. “Vou entrar com Projeto de Decreto Legislativo (PDL) na Câmara para revogar medida do Bolsonaro que reduz alíquota de importação de bicicletas e vai acabar com 5 mil empregos em Manaus. Se a bancada fizer PDL, também assino. Vamos defender os empregos que o presidente quer acabar”, informou o parlamentar petista.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR