Bolsonaro mente e diz que não tem vacina para comprar: “Só ser for na casa da tua mãe!”; VÍDEO

Presidente ignora o fato de que foi ele o responsável pelo atraso na imunização contra a Covid e chama aqueles que pedem compra de vacinas de "idiotas"

Enquanto governadores e prefeitos correm contra o tempo em acordos com laboratórios internacionais para a compra de vacinas contra a Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro, que recusou propostas para a compra de imunizantes ainda em 2020, ataca aqueles que pedem mais agilidade da imunização.

“Tem idiota que a gente vê nas redes sociais, na imprensa, ‘vai comprar vacina’. Só se for na casa da tua mãe! Não tem para vender no mundo”, disparou o presidente em conversa com apoiadores, na tarde desta quinta-feira (4), em Uberlândia (MG).

Leia também: “Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando?”, diz Bolsonaro diante do recorde de mortos por Covid

Bolsonaro mente ao dizer que não há vacinas para comprar no mundo, visto que seu próprio Ministério da Saúde fechou esta semana contrato para aquisição de doses da Pfizer e Janssen. Além disso, ignora o fato de que recebeu propostas para a compra de vacinas em 2020, inclusive do Instituto Butantan, de São Paulo, e as recusou ou demorou a aceitar, atrasando o processo de imunização.

O Brasil vive, neste momento, seu momento mais grave da pandemia, com o sistema de saúde a nível nacional em risco de colapso, hospitais superlotados e disparada de mortes, que vêm batendo recordes diários.

Leia também: “Vamos combater o vírus, mas não de forma burra”, diz Bolsonaro ao criticar lockdown

Assista ao momento em que Bolsonaro ataca aqueles que pedem a compra de vacinas.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta.

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR