Bronze em Tóquio, Alison dos Santos começou em programa do PT no interior paulista

O Piu, como é conhecido em São João da Barra, foi bronze nos 400 m com barreiras, conquistando a primeira medalha brasileira no atletismo individual desde Robson Caetano, em 1988

A lembrança foi do deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP). O atleta Alison dos Santos, bronze olímpico na prova dos 400 m com barreiras, começou a treinar nos programas esportivos da gestão da prefeita petista Maria Helena Vannuchi, em São Joaquim da Barra, sua cidade natal.

“Parabéns ao nosso joaquinense Alison dos Santos pelo bronze olímpico e ótimo resultado das olimpíadas! Direto de São Joaquim da Barra, nossa maravilhosa cidade do interior paulista… O Piu, como é conhecido em São Joaquim… e que começou nos programas esportivos da nossa gestão petista de Maria Helena Vannuchi! Viva o Alisson, Brasil e São Joaquim da Barra!”, escreveu Padilha em sua conta do Facebook.

Alison dos Santos ganhou a primeira medalha do atletismo brasileiro em Tóquio. E talvez a única. A sua medalha é a primeira do Brasil no atletismo individual desde que Robson Caetano foi bronze em Seul-1988.

O bronze de Alison pode ser considerado um feito, já que Karsten Warholm, da Noruega, que ficou com o ouro e Raj Benjamin, dos Estados Unidos, a prata, correram abaixo do então recorde mundial (47s70). O tempo dos dois foi de 45s94 e 46s17, respectivamente.

Piu ficou apenas 2 centésimos atrás da então marca mais rápida da história da prova, mas conseguiu ser o primeiro brasileiro a subir ao pódio nos 400 m com barreiras.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR