Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
24 de maio de 2018, 07h36

Caminhoneiros mantêm rodovias paralisadas e país pode entrar em caos a partir de hoje

Desabastecimento de alimentos e falta de transporte público são consequências da escassez de combustível

Pelo menos 40 rodovias estão interditadas na manhã desta quinta-feira

A manifestação de caminhoneiros segue pelo quarto dia consecutivo com bloqueios em cerca de 40 rodovias federais por todo o país. Na manhã desta quinta-feira (24), há registro de interdições em São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Amazonas, Pernambuco e Rio de Janeiro. A falta de combustível começa a afetar gravemente estados como Rio de Janeiro e Pernambuco com o desabastecimento de alimentos e a redução da frota de ônibus.

Em São Paulo, os grevistas interditam cinco pontos da rodovia Régis Bittencourt. Para os motoristas que trafegam no sentido Paraná a dificuldade de deslocamento é maior. Em Embu das Artes, as interdições vão do km 277 ao 280. Na altura de Miracatu, do km 382 ao 386. Em Jacupiranga, do 478 ao 477. No sentido São Paulo, os atos dos caminhoneiros interditam os km 478 e 477 em Jacupiranga e 277 e 280 em Embu das Artes.

O preço da gasolina disparou nas capitais do país. No Distrito Federal a gasolina bateu R$9,99. Motoristas esperavam cerca de uma hora na noite de quarta-feira para abastecer os tanques.

Desabastecimento e falta de transportes

O Rio de Janeiro enfrenta sérios problemas de desabastecimentos de alimentos. No Ceasa, principal central de distribuição da cidade, apenas 50 dos 500 caminhões que chegam todas as manhãs apareceram para a descarga de produtos. A saca de batata é comercializada nesta quinta-feira por R$ 500.

O BRT, serviço de ônibus articulados que liga o aeroporto do Galeão a bairros das zonas norte e oeste, funciona com apenas 50% da frota. Muitas estações amanheceram fechadas nesta manhã.

Em Recife, a frota de ônibus foi reduzida em 30% e os passageiros enfrentam filas nos pontos de ônibus. Os veículos passam lotados, trafegando com as portas abertas devido à superlotação.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum