Casagrande: “Precisamos de vacina, não de Copa América. O presidente deixou o povo à mercê do vírus”

O ex-jogador e comentarista também criticou o silêncio dos jogadores da seleção brasileira: “pra eles está tudo bem”

Na edição desta terça-feira (01) do programa Globo Esporte, o ex-jogador de futebol e comentarista Walter Casagrande criticou a realização da Copa América no Brasil e o silêncio da seleção brasileira sobre o assunto. “Jogadores do Uruguai, do Chile estão se manifestando, os nossos não, para os jogadores brasileiros da Granja Comary está tudo certo ‘vamos jogar copa américa aqui’”, criticou Casagrande.

Casagrande também explicou que estar contra a Copa América é uma questão sanitária e não disputa de transmissão. “Ser contra a Copa América não tem nada a ver com concorrência de emissora, a Copa América ia ser na argentina, na Colômbia e ninguém estava se manifestando contra. O problema é ser aqui, nós queremos vacina, não Copa América”, disse o ex-jogador.

Para Casagrande, o presidente Bolsonaro “está sendo coerente”. “O presidente Bolsonaro está sendo coerente. Você viu o que ele falou? Ele quer o protocolo da libertadores, as pessoas não precisam ser vacinadas… como ele não vacina a gente, então ele está sendo coerente em não vacinar as outras pessoas (população brasileira)”, disse.

Por fim, Casagrande afirmou que o Brasil precisa de vacina contra a Covid e não de um evento esportivo que vai reunir atletas de vários países que podem ser contaminados no Brasil por conta do descontrole sanitário do país. “Nós estamos precisando de vacina e não de copa américa. O presidente Bolsonaro deixou o povo na mão, à mercê do vírus e continua fazendo isso. Só que agora ele está fazendo isso com outras pessoas, que vem de fora, já que ele não vai exigir vacinação”, finalizou.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR