#Fórumcast, o podcast da Fórum
16 de junho de 2016, 19h28

Chico D’Angelo: O desmonte da EBC é um ataque ao povo brasileiro

A comunicação pública, conforme estabelecido pela lei que criou a EBC, deve ser componente da luta maior pela consolidação da democracia, discutindo de forma plural temas relevantes para a construção de uma cidadania ativa e inclusiva, além de cumprir a função de socializar o conhecimento da forma mais ampla possível. É com extrema preocupação, portanto, que percebemos os movimentos que o governo ilegítimo de Temer tenta fazer no sentido de desmontar a EBC da forma mais espúria, buscando transformar uma empresa pública, portanto plural, em empresa apenas estatal, condicionada por interesses pragmáticos do governo

Por Chico D’Angelo*

A Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) foi criada pela Lei 11.652/2008, que procurou definir os princípios da comunicação pública brasileira. Na origem da EBC está a tentativa de se efetivar o que estabelece a Constituição Federal sobre o setor de radiodifusão: a carta magna prevê a complementaridade entre os sistemas privado, estatal e público de comunicação. A empresa engloba os canais TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil, Radioagência Nacional e um sistema público de Rádio formado por oito emissoras.

A comunicação pública, conforme estabelecido pela lei que criou a EBC, deve ser componente da luta maior pela consolidação da democracia, discutindo de forma plural temas relevantes para a construção de uma cidadania ativa e inclusiva, além de cumprir a função de socializar o conhecimento da forma mais ampla possível.

É para garantir esse caráter acima mencionado que a lei 11.652 estabelece que a EBC tenha órgãos de proteção do interesse público, como o Conselho Curador (com representantes da sociedade e dos trabalhadores), a Ouvidoria e a proteção do mandato do diretor-presidente, proibindo que este seja trocado em caso de mudança do Executivo.

É com extrema preocupação, portanto, que percebemos os movimentos que o governo ilegítimo de Michel Temer tenta fazer no sentido de desmontar a EBC da forma mais espúria, buscando transformar uma empresa pública, portanto plural, em empresa apenas estatal, condicionada por interesses pragmáticos do governo. A recente tentativa de interrupção do mandato do diretor-presidente da EBC viola o princípio de que a empresa deve responder aos anseios da sociedade brasileira, e não a partidos ou governos específicos.

Vale lembrar também a importância que a rede pública de comunicação tem para a difusão da cultura brasileira, ressaltando a riquíssima diversidade étnica do país e destacando a maneira potente com que as práticas culturais se articulam em um Brasil de saberes, sabores, cores, modos de vida e formas de apropriação da realidade ricas em sua pluralidade.

A obrigação de um órgão de comunicação pública é falar para a totalidade da nossa gente: mulheres, homens, crianças, adolescentes, idosos, espíritas, candomblecistas, evangélicos, católicos, budistas, ateus, gays, heterossexuais, transgêneros, trabalhadores do campo e das cidades, negras, índios, brancas, mestiços; com todas as diferenças e similitudes que nos constituem neste amálgama diversificado que podemos definir como povo brasileiro.

O ataque à EBC, não nos enganemos, não é um fim em si mesmo e vai além de uma estratégia de poder claramente estabelecida. Do ponto de vista mais profundo, ele é um ataque a este Brasil diverso e emergente que sempre incomodou o alpendre da Casa-Grande.

O professor Darcy Ribeiro dizia que a maior mazela do Brasil é que “houve e há é uma minoria dominante, espantosamente eficaz na formulação e manutenção de seu próprio projeto de prosperidade, sempre pronta a esmagar qualquer ameaça de reforma da ordem social vigente”. É exatamente essa minoria, articulada em torno do governo ilegítimo de Michel Temer, que tenta desmontar a rede de comunicação pública, como parte da estratégia que tem por objetivo apenas a sórdida manutenção de seus privilégios.

*Chico D’Angelo é deputado federal pelo PT-RJ e presidente da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum