China parabeniza Joe Biden por vitória

Imprensa internacional destaca o fato de que Brasil, México e Rússia ainda não reconheceram vitória do candidato Democrata

A China felicitou, nesta sexta-feira (13), o presidente eleito dos EUA, Joe Biden (Democrata), por sua vitória contra o Republicano Donald Trump. O reconhecimento da eleição de Biden por parte do governo chinês ocorre mais de uma semana depois da eleição americana.

“Respeitamos a escolha do povo americano. Expressamos nossas felicitações ao Sr. Biden e à Sra. Harris, declarou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, durante coletiva de imprensa. Wang também disse que o “resultado das eleições nos Estado Unidos será determinado de acordo com as leis e procedimento dos Estado Unidos”, informa o DW.

Os EUA vivem um impasse, pois, o presidente Donald Trump ainda não reconheceu a derrota e tenta, na justiça, reverter o resultado.

DW, NYT e outros portais internacionais destacam o fato de que a Rússia, o Brasil e o México ainda não reconheceram a vitória de Joe Biden. Os governos dos respectivos países afirmam que vão esperar o resultado oficial para parabenizar o presidente eleito dos EUA.

O porta-voz do Kremlim, Dmitry Peskov, declarou, na última segunda-feira (9), que o governo russo acredita ser correto “aguardar o anúncio oficial dos resultados da eleição”.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR