Fórumcast, o podcast da Fórum
18 de julho de 2016, 12h38

Com dívida de R$ 6,9 bilhões, diretor da Fiesp é o maior ‘caloteiro’ do Brasil

Dívida do empresário Laodse de Abreu Duarte é maior que a dos governos da Bahia, Pernambuco e outros 16 estados. Quem paga esse pato?

Dívida do empresário Laodse de Abreu Duarte com a União é maior que a dos governos da Bahia, Pernambuco e outros 16 estados. Quem paga esse pato?

Por Redação

Com uma dívida maior que a dos governos da Bahia, Pernambuco e outros 16 estados, o empresário Laodse de Abreu Duarte, um dos diretores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), é a pessoa física que mais deve aos cofres públicos do Brasil.

O valor chega atualmente a R$ 6,9 bilhões. Laodse, inclusive, responde a processo por crime contra a ordem tributária. Ele adquiriu essa dívida devido à má gestão de um grupo empresarial familiar que administrava ao lado de dois irmãos, Luce Leo e Luiz Lian. Ambos devem mais de R$ 6,6 bilhões para a União.

Lívio Canuto Abreu Duarte, um quarto irmão, apresenta uma dívida de cerca de R$ 3 milhões e teve seu nome revelado no escândalo do Panama Papers, como dono de uma offshore em um paraíso fiscal.

Eles fazem parte de uma elite que reúne cerca de 13 mil pessoas que devem mais de R$ 15 milhões para o país. Somando tudo, o valor a que se chega é de mais de R$ 812 bilhões. Para se ter ideia, esse montante é cinco vezes o total do rombo no orçamento previsto para 2016.

O diretor respondeu que, como o processo contra a ordem tributária ainda não foi julgado em segunda instância, qualquer conclusão ou juízo a seu respeito seria precipitada. A Fiesp não se manifestou sobre o caso.

Foto de Capa: Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum