O que o brasileiro pensa?
01 de agosto de 2020, 15h07

Com slogan nazista, protesto da extrema-direita alemã contra o isolamento reúne 10 mil pessoas em Berlim

Batizado de "Dia da Liberdade", em referência a uma peça da propaganda nazista de 1935, ato pedia fim das restrições impostas pelo governo contra o coronavírus e reunia pessoas dos chamados movimentos "anti-vacina"; número de infecções voltou a subir na capital alemã

Reprodução/Twitter

Cerca de 10 mil pessoas se reuniram neste sábado (1), em Berlim, na Alemanha, para um protesto contra o isolamento social e as medidas de restrição impostas pelo governo para o combate ao coronavírus.

Organizado por grupos de extrema-direita, como o neonazista “Querdenken 711”, o ato foi batizado de “Dia da Liberdade”, uma referência direta ao filme “Dia da Liberdade”, peça da propaganda nazista sobre o congresso do partido de Adolf Hitler, lançado em 1935.

Sem respeitar o distanciamento social e sem uso de máscaras, os manifestantes caminharam do portão de Brandemburgo até o parque Tiergarten com palavras de ordem sinalizando que o coronavírus seria um “alarme falso”, que a pandemia seria uma “teoria da conspiração” e que o governo, com as medidas de restrição, estaria tentando “amordaçá-los”.

Leia também: Alemães organizam festas secretas, desafiando quarentena e preocupação por segunda onda do coronavírus

De acordo com a agência alemã Deutsche Welle, boa parte dos manifestantes compunha os chamados movimentos “anti-vacina” e vinha de outras partes do país.

Apesar de a Alemanha ter registrado pouco mais de 9 mil mortes por Covid-19, número bem abaixo de outros países europeus, o governo tem alertado para uma possível segunda onda da doença, com o aumento de infecções nos últimos dias diante da flexibilização das restrições. Por este motivo, as autoridades do país já informaram que pretendem impor sanções mais duras contra a violação das regras de restrição.

Segundo veículos de mídia locais, no ato, além do slogan, foram observadas bandeiras de referência nazista, proibidas pela Constituição alemã.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum