Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
04 de maio de 2007, 19h35

Conanda vai acionar o STF para impedir redução da idade penal

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) divulgou nota no dia 27 de abril anunciando a elaboração de mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido de liminar para paralisar a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional que reduz a idade penal.

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) divulgou nota no dia 27 de abril anunciando a elaboração de mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido de liminar para paralisar a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional que reduz a idade penal.

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) divulgou nota no dia 27 de abril anunciando a elaboração de mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido de liminar para paralisar a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional que reduz a idade penal.

O jurista Dalmo Dallari e a Associação Brasileira de Magistrados e Promotores da Infância e Juventude (ABMP) darão apoio à confecção do pedido. O Conanda considera inconstitucional a redução da idade penal. A proposta aprovada no dia 26 de abril pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, se aprovada pelo Congresso, permitiria que adolescentes a partir dos 16 anos que cometessem crimes hediondos fossem submetido ao regime prisional.

Confira a íntegra da nota.

NOTA PÚBLICA: Conanda se posicona contrário à decisão da CCJ do Senado
O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) vem a público manifestar-se contra a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que reduz a idade penal de 18 para 16 anos por considerá-la inconstitucional e comprometedora da imagem e da credibilidade do país com relação aos compromissos internacionais assumidos, como a Convenção sobre os Direitos da Criança e do Adolescente da Organização das Nações Unidas (ONU) ratificada pelo país em 1990.

Como principal órgão do sistema de garantias dos direitos da criança e do adolescente no país, criado pelo próprio Estatuto da Criança e do Adolescente e formado, paritariamente, por membros do governo e da sociedade civil, o Conanda tem como missão principal a promoção, a defesa e a garantia integral dos direitos da criança e do adolescente. Nesse sentido, tendo em vista que a Constituição Federal Brasileira de 1988 considerou que a inimputabilidade penal é direito e garantia fundamental de todas as pessoas com menos de 18 anos (crianças e adolescentes), isto significa que o adolescente não responde criminalmente quando comete atos infracionais (crimes ou contravenções), mas responde conforme a legislação especial (Estatuto da Criança e do Adolescente). O artigo 60, parágrafo 4, inciso 4, da Constituição Federal dispõe que “não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir os direitos e garantias individuais”.

Além disso, o Brasil ao ratificar a Convenção da ONU se obrigou a tratar de forma totalmente diferenciada as crianças e adolescentes com relação aos adultos, quando se envolvem com a criminalidade. A Convenção dos Direitos da Criança e do Adolescente da ONU após ser ratificada pelo país signatário tem “status” constitucional, se incorporando ao rol dos direitos e garantias fundamentais da Constituição Federal. Portanto, além dos motivos sociais, econômicos e psicológicos já explicitados em notas anteriores do Conselho (anexos), a PEC aprovada ontem na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal está ferindo frontalmente princípios constitucionais e garantias elementares das crianças e adolescentes.

Diante disso, o Conanda, com o apoio do jurista Dalmo de Abreu Dallari e da Associação Brasileira de Magistrados e Promotores da Infância e Juventude (ABMP) irá elaborar e impetrar um mandado de segurança, com pedido de liminar, no Supremo Tribunal Federal (STF), visando à paralisação imediata da tramitação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que trata da redução da idade penal no Congresso Nacional, defendendo dessa forma a prevalência da soberania dos princípios constitucionais no Estado Democrático de Direito e em defesa do integral cumprimento da Lei 8.069, de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Brasília, 27 de abril de 2007

Conselho Naciona dos Direitos da Criança e do Adolescente

CONANDA

Carmen Silveira De Oliveira – Presidente Do Conanda; Subsecretária De Promoção Dos Direitos da Criança e do Adolescente

Maria Julia Rosa Chaves Deptulski – Vice-Presidente Do Conanda; Movimento Nacional De Meninos E Meninas De Rua

José Ricardo Calza Caporal – Federação Brasileira Das Associações Cristãs De Moços

Marta Marília Tonin – Ordem Dos Advogados Do Brasil (OAB) – Conselho Federal

Isaias Bezerra De Araújo – Fundação Fé e Alegria do Brasil

Maria Luiza Moura Oliveira – Conselho Federal de Psicologia

Miriam Maria José Dos Santos – Inspetoria São João Bosco – Salesianos

Maria Aurilene Moreira Vidal – Confederação Nacional dos Bispos do Brasil / Pastoral do Menor

Fabio Feitosa Da Silva – União Brasileira de Educação e Ensino – UBEE

Antonio Pereira Da Silva Filho – Federação Nacional Dos Empregados Em Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas – FENATIBREF

Alda Elizabeth Boehler Iglesias Azevedo – Sociedade Brasileira de Pediatria – SBP

Ariel De Castro Alves – Movimento Nacional de Direitos Humanos

Irmã Beatriz Hobold – Pastoral da Criança – Organismo de Ação Social da CNBB

Maria Ignês Rocha De Souza Bierrenbach – Fundação Abrinq Pelos Direitos da Criança

Raimunda Núbia Lopes Da Silva – Central Única dos Trabalhadores – CUT

Manoel Onofre De Souza Neto – Associação Brasileira de Magistrados e Promotores da Justiça, da Infância e da Juventude (ABMP)

Maria Stela Santos Graciani – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP

Patrícia Kelly Campos De Souza – Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente – ANCED

Elisabete Borgianni – Conselho Federal De Serviço Social – CFESS

Diva Da Silva Marinho – Federação Nacional Das Apae’s

Iralda Cassol Pereira – Sociedade Literária Caritativa Santo Agostinho

Sandra Greco Da Fonseca – Aldeias Infantis SOS/Brasil

Nanko G. Van Buuren – Instituto Brasileiro de Inovações em Saúde Social – IBISS

Maria Carolina Da Silva – Visão Mundial

Ferial Sami – Assembléia Espiritual Nacional dos Bahá’ís do Brasil

Fábio Teixeira Alves – Associação da Igreja Metodista

Moisés Do Espírito Santo Júnior – Centro De Integração Empresa Escola – CIEE

José Carlos Da Silva Brito – Congresso Nacional Afro-brasileiro – CNAB

Ivanildo Tajra Franzosi – Casa Civil da Presidência da República

Ana Lígia Gomes – Ministério do Desenvolvimento Social e Combate A Fome – MDS

Ricardo Anair Barbosa De Lima – Ministério da Cultura

Leandro Da Costa Fialho – Ministério da Educação

Ricardo Nascimento de Avellar Fonseca – Ministério do Esporte

Rogério Baptista Teixeira Fernandes – Ministério da Fazenda

Eduardo Basso – Ministério da Previdência Social

Thereza De Lamare Franco Netto – Ministério da Saúde

Márcia Maria Adorno Cavalcanti Ramos – Ministério das Relações Exteriores

Luis Fernando De Lara Resende – Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leonardo Soares De Oliveira – Ministério do Trabalho e Emprego

Jose Eduardo Elias Romão – Ministério da Justiça

Cristina De Fátima Guimarães – Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum