Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
28 de junho de 2007, 12h28

Contra transposição, ativistas acampam e lançam manifesto

Cerca de 1.200 pessoas acamparam, na madrugada desta terça-feira, 26, na área onde o exército iniciou o projeto de transposição do rio São Francisco.

Cerca de 1.200 pessoas acamparam na madrugada desta terça-feira, 26, na área onde o exército iniciou o projeto de transposição do rio São Francisco.

Na segunda, 25, o 2º Batalhão de Engenharia do Exército, instalado em Cabrobó desde o dia 4 de junho, iniciou a primeira fase das obras para a transposição do Rio São Francisco.

Os manifestantes de comunidades indígenas e de remanescentes de quilombolas, além de outros movimentos sociais exigem o arquivamento do projeto e a implementação de alternativas e tecnologias apropriadas de convivência com o Semi-Árido. Segundo Neguinho Truká, da reserva indígena Truká, a mobilização deve servir para impedir o avanço das obras e para a retomada do território pelo povo indígena Truká, que reivindica a posse da terra.

Segundo a Articulação Popular São Francisco Vivo, o acampamento não tem prazo para encerrar e o número de participantes deverá aumentar ao longo do dia.

Manifesto Um manifesto do acampamento intitulado“ Nordeste é Viável sem Transposição e com Ética na Política” pede o arquivamento da transposição e um projeto que atenda as necessidades da população que convive com o Semi-Árido.

Diz o texto assinado por 36 entidades: “O processo transcorrido até aqui não foi democrático nem republicano e desabona o projeto, seus promotores e lobistas: estudos de impacto ambiental formais e incompletos; críticas fundamentadas dos principais especialistas; desrespeito às decisões do Comitê de Bacia; descumprimento do acordo feito com D. Luiz Cappio, ao encerrar a greve de fome, em novembro de 2005, para que houvesse um amplo e sério debate nacional sobre o assunto; incertezas e inverdades quanto as reais motivações do projeto, quanto a seus custos e a quem vai pagar a conta; propaganda enganosa sobre seu alcance”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags