Coreógrafo Rubens Barbot recebe Prêmio Nosso Orgulho 2021 voltado aos destaques da cena cultural LGBTQIA+

Em 1990, ele criou a Rubens Barbot Teatro de Dança, a primeira companhia dedicada à dança afro-contemporânea do Brasil

Um dos maiores bailarinos e coreógrafos brasileiros, Rubens Barbot recebeu uma homenagem especial em premiação voltada aos destaques da cena cultural LGBTQIA+. O Prêmio Nosso Orgulho 2021 foi realizado no Teatro Gonzaguinha, no Centro do Rio, e teve primeira exibição nesta quinta-feira (25), no Youtube e no Facebook.

O vídeo com a homenagem a Barbot foi o ponto alto da noite de entrega de troféus. O coreógrafo foi às lágrimas ao receber a placa de acrílico de homenageado do ano da premiação. A homenagem foi gravada em sua casa e depois transmitida pela internet.

“Eu queria agradecer ao meu público. Nós artistas somos feitos pelo público. Se o público não vai assistir à gente, a gente não tem mídia, não tem quem fale da gente”, disse Barbot.

O bailarino dedicou mais de trinta anos à pesquisa de movimentos dos corpos afro-brasileiros. Ao longo da carreira, se apresentou em palcos no Brasil e no exterior sempre cercado de críticas elogiosas.

Em 1990, criou a Rubens Barbot Teatro de Dança, a primeira companhia dedicada à dança afro-contemporânea do Brasil. Ao longo das últimas décadas, seu trabalho vem impactando gerações e enaltecendo o povo preto brasileiro.

A entrega do troféu ocorreu no Terreiro Contemporâneo, casa e espaço cultural gerido por Barbot e o companheiro de longa vida, o argentino Gatto Larsen, no Centro do Rio.

Idealizador e criador do Prêmio Nosso Orgulho, o jornalista Felipe Martins não conteve a emoção ao entregar o troféu ao dançarino. “Entrevistei Barbot e Gatto Larsen há quase 20 anos quando ainda estava engatinhando na profissão. Eles foram de uma generosidade gigante. Passado todo esse tempo, foi uma alegria e uma emoção enorme poder reencontrá-los e ver que todo aquele amor e generosidade permanecem os mesmos”, disse o jornalista. “Este troféu é apenas um pouco de todo o reconhecimento que Barbot merece pelo que fez pelo povo preto do Brasil “, completou.

Noite de entrega de troféus teve Jup do Bairro e filme com elenco todo preto como vencedores

Felipe apresentou a noite de entrega de troféus ao lado de Thaylla Vargas, travesti preta e periférica do Rio de Janeiro.

“Foi uma alegria imensa estar no palco do Prêmio Nosso Orgulho 2021. Uma mulher travesti poder ocupar à frente palco de um teatro do Rio de Janeiro é uma conquista de representatividade que me faz muito feliz. Estou muito orgulhosa”, disse Thaylla.

Entre os vencedores da Premiação, Jup do Bairro conquistou o troféu na categoria Música pelo Voto do Júri. O filme No Sigilo, com elenco formado somente por atores pretos, ganhou na categoria Produção Audiovisual. A obra já foi vista por mais de 400 mil pessoas no Youtube e levou dois troféus para casa, o do Voto Popular e Voto do Júri. Diego Mesquita, do perfil @pretasbixas do Instagram, foi o vencedor na categoria Criação de Conteúdo Web em empate com Giovanna Heliodoro, a @transpreta.

“A gente sabe como é difícil se manter como influenciador digital sendo grupo marginalizado. Agradeço a todas as travestis e transexuais que me antecederam para que hoje eu possa estar levando esse prêmio”, disse Giovanna, em vídeo enviado para a cerimônia.

Muito emocionada, a gaúcha Valéria Barcellos subiu ao palco do Teatro Gonzaguinha para receber o prêmio de melhor obra literária. Ela também levou dois troféus: Voto Popular e Voto do Júri pelo livro de estreia ‘Transradioativa’, que narra de maneira singular a trajetória de luta e vitória contra o câncer”.

“Estou contrariando todas as expectativas. Ter meu nome em um troféu aos 41 anos contraria a expectativa de ter meu nome em uma lápide, já que a expectativa de vida de mulheres trans é de 35 anos e eu estou com 41. É uma emoção enorme ganhar esse troféu com meu primeiro livro. Espero voltar mais vezes e, na próxima, poder abraçar todo mundo”, disse.

O corpo de jurados foi formado por artistas, ativistas e acadêmicos como o ator e diretor de teatro Rodrigo França e a psicóloga e intelectual Jaqueline Gomes de Jesus.

O Prêmio Nosso Orgulho 2021 conta com o patrocínio da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa por meio de recursos da Lei Federal Aldir Blanc e conta também com o apoio da Prefeitura do Rio e da UNAIDS, Programa Conjunto da ONU sobre HIV/Aids.

Assista abaixo a transmissão completa do Prêmio Nosso Orgulho 2021:

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.