Fórumcast #20
09 de junho de 2014, 11h05

CPI da exploração sexual termina com o indiciamento de 37 pessoas

Entre os denunciados está o prefeito de Coari (AM), Adail Pinheiro e o deputado estadual Fausto Souza (PSD-AM)

Entre os denunciados está o prefeito de Coari (AM), Adail Pinheiro e o deputado estadual Fausto Souza (PSD-AM)

Por Redação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do abuso sexual contra crianças e adolescentes aprovou na última quarta-feira (4) o seu relatório final, que pede o indiciamento de 37 pessoas e apresentou 11 propostas legislativas para que tornem mais severas as leis contra a exploração sexual de menores de idade. Presidida pela deputada federal Erika Kokay (PT-DF), foram dois anos de trabalho.

Entre os indiciados estão o prefeito de Coari (AM), Adail Pinheiro, acusado de estupro de vulnerável, favorecimento à prostituição e associação criminosa; o deputado estadual Fausto Souza (PSD-AM); o ex-deputado estadual de Santa Catarina, Nilson Nelson Machado; e o ex-presidente da Câmara Legislativa de Três Corações (MG), Altair Nogueira.

“Tivemos experiências muito ricas e muito doídas. Vimos muitas coisas que não queríamos ter visto. Tivermos oportunidade de nos deparar com um Brasil muitas vezes escondido sob o manto da impunidade, onde há espaço para que se perpetue o roubo da infância das nossas crianças, como observamos várias vezes”, declarou Erika Kokay.

Veja também:  Avó de Michelle Bolsonaro foi presa por tráfico e mãe indiciada por falsidade ideológica

Desde a sua instalação, em 2012, a CPI visitou 13 estados, realizou 36 diligências e 66 reuniões na Câmara dos Deputados, além de 2 seminários. O relatório será encaminhado ao Ministério Público Federal e Estaduais para adoção de medidas cabíveis.

Foto: Erika Kokay

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum