Fórumcast, o podcast da Fórum
07 de agosto de 2007, 13h12

CPT denuncia ameaças a lideranças de movimentos sociais em Alagoas

Em nota à imprensa, Comissão Pastoral da Terra alerta para repressão e expõe "temor de uma reação violenta por parte dos latifundiários denunciados em protesto"

Em nota à imprensa, Comissão Pastoral da Terra alerta para repressão e expõe “temor de uma reação violenta por parte dos latifundiários denunciados em protesto”

Por Redação 

A Comissão Pastoral da Terra (CPT), em nota à imprensa, denunciou ameaças de morte a liderças de movimentos sociais da área rural de Alagoas. O início das ameaças ocorreu a partir da jornada de lutas no estado, em comemoração ao dia do trabalhador rural.

No dia 24 de julho, 800 pessoas ligadas à CPT, Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST) e Movimento Terra Trabalho e Liberdade (MTL), ocuparam a fazenda Boa Vista do deputado federal Olavo Calheiros (PMDB), irmão do senador Renan Calheiros, no município de Murici.

A ocupação foi motivada, pela suspeita da irregularidade dos documentos que comprovam a compra da fazenda. Segundo a CPT, a fazenda foi vistoriada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em 1999, quando foi classificado como improdutivo. Porém, o processo foi arquivado e desapareceu dos arquivos. Pouco tempo depois, a propriedade foi adquirida pela família Calheiros. Além da fazenda Boa Vista, encontram-se em condições semelhantes as fazendas Santo Aleixo, Bananeiras, São Bernardo e Cocau. A assessoria de imprensa do Incra, não foi localizada, devido a mudanças no escritório.

Durante a ocupação, os manifestantes reconheceram que pistoleiros ligados a latifundiários, disfarçados de operários da Companhia Energética de Alagoas (CEAL), estiveram na fazenda afirmando que estavam verificando as instalações elétricas. A CEAL, procurada pela Fórum, averiguará a denúncia.

Para dar continuidade aos protestos, no dia 25, os manifestantes realizaram marcha e ato em frente a prefeitura de Murici e ao cartório, que resultaram em negociação para desocupação da fazenda e na Corregedoria-Geral do estado, com a promessa do desembargador Sebastião da Costa Filho de agilizar o processo que solicita a intervenção no cartório de Murici.

Repressão
A CPT afirma que, “após a intervenção no cartório, há fortes indícios na região de planos de assassinato de lideranças dos movimentos sociais rurais. Em sessão da Assembléia Legislativa, no dia 2 de agosto, o deputado João Beltrão (PMN), que goza de fórum privilegiado e responde por processos utilização de pistolagem em Alagoas, qualificou os movimentos que atuam no campo como “um bando de maloqueiros” e disse, em tom de ameaça, que deixaria a política caso os movimentos ocupassem uma das quatro fazendas que possui.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum