Um hotel LGBT em Cuba

Fruto de uma parceria entre o grupo espanhol Axel Hotel e o Grupo de Turismo Gaviota, o projeto prevê a revitalização do Hotel Telégrafo

Em breve Cuba deve ser o seu primeiro hotel destinado ao púbico LGBT. Trata-se de uma parceria entre a rede espanhola Axel e o Grupo de Turismo Gaviota, que gerencia os hoteis no país.

De acordo com um comunicado emitido pelo grupo Axel, “O Hotel Telégrafo Axel Havana está na fase final de um processo de renovação e melhorias”.

O comunicado também destaca o fato de que o hotel está “localizado em frente ao Parque Central, muito perto do Capitólio e do grande Teatro de Havana.

Dessa maneira, o hotel afirma que vai oferecer 63 quartos e novos serviços “concebidos entre as melhorias mais substanciais adicionadas”.

Por fim, a inauguração deve acontecer assim que a situação pandêmica for estabilizada e os voos para Cuba retomados.

Cuba e as políticas em prol da comunidade LGBT

Desde a virada do século, que o governo cubano tem se dedicado a edificar políticas em defesa e de promoção dos direitos da comunidade LGBT.

A primeira dela foi a criação do Conselho Nacional de Assuntos sobre a Sexualidade (CENESEX), que é comandado por Mariela Castro.

Atualmente, o país está discutindo a reformulação do Código Familiar e já há um consenso da inclusão das famílias LGBT.

A discussão e a atualização do Código devem acontecer ainda este ano.

Notícias relacionadas

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR