O que o brasileiro pensa?
07 de julho de 2020, 00h23

Dallagnol diz que PGR acessar dados da Lava Jato é como banqueiro ver conta de cliente

Coordenador da força-tarefa em Curitiba não quer que a chefia do Ministério Público Federal verifique provas e documentos obtidos pelos procuradores

Foto: Reprodução/YouTube

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba, afirmou que um acesso indiscriminado a provas e documentos da força-tarefa pela Procuradoria-Geral da República é como um banqueiro acessar dados sigilosos de um correntista sem justificativa. O acesso é defendido pelo procurador-geral Augusto Aras.

“A Justiça dá acesso a informações sigilosas para permitir o avanço de investigações ou processos criminais e é só com esse propósito que o acesso pode ser estendido a terceiros. Do mesmo modo, o chefe da Receita Federal não tem o direito de ver o Imposto de Renda de um certo contribuinte, e o banqueiro não deve acessar os detalhes dos gastos de um correntista, sem justificativa”, disse o procurador, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

“Quando as informações são sigilosas, há regras para o acesso”, completou.

A PGR tentou, há cerca de duas semanas, obter o acervo de informações da Lava Jato, o que gerou o maior conflito entre o comando do Ministério Público Federal e os integrantes da força-tarefa em seus seis anos de existência.

Um grupo de procuradores pediu demissão. Na sequência, Aras disse que a equipe de Curitiba “não é um órgão autônomo” e precisa “obedecer normas”.

Deltan também defendeu “freios e contrapesos” em uma eventual unidade na estrutura da PGR para integrar diferentes forças-tarefas, outra medida que é criticada pelo grupo de procuradores por temerem perda de autonomia. Na entrevista, ele ainda voltou a negar que a Lava Jato ajudou a eleger Jair Bolsonaro em 2018.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum