Fórumcast, o podcast da Fórum
25 de julho de 2014, 12h53

Desapropriação feita por Aécio pode ajudar seu tio em ação judicial

Terreno desapropriado para a construção do aeroporto de Cláudio (MG) estava bloqueado para a venda. Valor da indenização pode ajudar ex-prefeito a pagar reparação aos cofres públicos em caso de condenação em ação movida pelo MP

Terreno desapropriado para a construção do aeroporto de Cláudio (MG) estava bloqueado para a venda pela Justiça. Valor da indenização pode ajudar ex-prefeito a pagar reparação aos cofres públicos em caso de condenação em ação movida pelo MP

Por Redação

A construção do aeroporto de Cláudio (MG), feita a partir de 2009 pelo então governador Aécio Neves na fazenda que era de seu tio-avô, o ex-prefeito da cidade Múcio Tolentino, pode resolver uma questão judicial que se estende há treze anos, beneficiando o parente do atual senador e presidenciável.

Múcio Tolentino é réu em ação de reparação de danos ao erário, por conta da construção da pista de terra batida para pouso e decolagem de aviões que precedeu o atual aeroporto. O Ministério Público Estadual apurou que, em 1983, o então governador Tancredo Neves realizou repasses para a prefeitura, então dirigida por Múcio, e cerca de Cr$ 30 milhões foram utilizados para a obra.

Em função dessa ação movida pelo Ministério Público, a Justiça havia determinado que a área fosse bloqueada, impedindo assim a sua venda. Com a desapropriação promovida pelo então governador Aécio por meio de um decreto de 20 de fevereiro de 2008, seu tio Múcio passou a ter direito a receber do Estado a quantia de 1 milhão de reais. Caso seja condenado a devolver o dinheiro utilizado na construção da pista de terra batida para os cofres públicos, o ex-prefeito de Cláudio pode utilizar o recurso da indenização para abater o montante a ser pago.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum