Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
08 de dezembro de 2016, 14h13

Dilma é eleita “Mulher do Ano” pelo jornal britânico Financial Times

Ex-presidenta aparece na lista ao lado de personalidades como a cantora Beyoncé, a ginasta olímpica Simone Biles e a primeira-ministra britânica Theresa May.

Ex-presidenta aparece na lista ao lado de personalidades como a cantora Beyoncé, a ginasta olímpica Simone Biles e a primeira-ministra britânica Theresa May

Por Redação

A ex-presidenta Dilma Rousseff, afastada do cargo em agosto, foi escolhida como uma das mulheres do ano pelo jornal britânico Financial Times. Ela aparece na lista ao lado de personalidades como a primeira-ministra britânica Theresa May, a ginasta olímpica Simone Biles, a cantora Beyoncé e a ex-candidata democrata à presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton.

Em uma longa entrevista concedida à publicação em um hotel de Porto Alegre, Dilma ressaltou que uma autoridade mulher é normalmente chamada de “dura”, enquanto um homem é considerado “forte”. Ela criticou o atual governo brasileiro, que seria formado por “velhos brancos ricos ou, pelo menos, daqueles que querem ser ricos”.

Em seu texto, o chefe da sucursal do FT no Brasil, Joe Leahy, considerou o processo de impeachment como um julgamento político, resultado também da queda de popularidade da ex-presidenta e das denúncias de corrupção envolvendo a estatal Petrobras.

Na avaliação do periódico, a petista se colocou como campeã das minorias e dos pobres por meio de programas de assistência social. “Eu acho que a oligarquia tradicional brasileira ficou chateada com essa pequena (redistribuição da riqueza)”, disse Dilma. “Após séculos de exclusão, este foi um esforço muito pequeno na inclusão. Não foi fantástico; precisa ser muito mais do que o que fizemos”, continuou.

Em sua fala, ela classificou como “loucura” a proposta de Michel Temer de congelar o crescimento dos gastos orçamentários por vinte anos e chamou seu impeachment de golpe. Garantiu ainda que não pensa em se candidatar a cargos eletivos, mas que se manterá ativa politicamente. O perfil feito pelo jornal destacou a trajetória de Dilma como guerrilheira na luta contra a ditadura militar e o legado deixado para as mulheres no país.

Leia a seguir (em inglês).


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum